[ECOTUTORIAIS][bleft]

Por que O Vegetarianismo Não Basta

Por: Camila Gomes Victorino

O vegetarianismo, para mim, tem um ponto positivo: o fato de mostrar que mais e mais pessoas estão se conscientizando do sofrimento animal e da depredação do meio-ambiente por conta da carne. Mas estas são puras vantagens informativas, pois apesar das pessoas estarem se tornando mais conscientes sobre o sofrimento animal, o vegetarianismo em nada auxilia na libertação dos animais e muito menos na questão ambiental.
Isto parece uma blasfêmia, mas infelizmente não é! Quando virei lacto-ovo-vegetariana há mais de 15 anos atrás, eu não tinha a mínima ideia do que era veganismo e não tinha acesso à internet. Assim, a minha busca por hábitos mais éticos, baseados nos poucos livros que havia lido (livros budistas) não conseguiram me informar de que a carne é só a ponta milimétrica do iceberg da exploração animal.
De fato, as pessoas costumam pensar que parar de comer muda alguma coisa, mas por trás desta ideia ainda existe a tortura e muito, mais muito sofrimento -  além da morte dos animais. Assim, o vegetarianismo não basta e não serve e por mais que seja duro admitir, ele funciona mais como um limpador de consciência do que como método efetivo na libertação dos animais.

Queijo Mata

Muitos lacto-ovo-vegetarianos (como eu no passado) sentem uma imensa falta das gorduras existentes na carne (o tal do peso no estômago) e é por isso que o queijo se torna o grande substituto da carne para eles. O problema é que a maioria dos queijos precisa de enzimas para aglutinar e estas enzimas provêm do estômago dos bois e vacas mortos e, principalmente, do estômago de filhotes recém-nascidos, pois eles possuem maior quantidade desta enzima (coalho). Ou seja, não há eficácia alguma em parar de comer carne para salvar os animais, pois quando se está comendo queijo financia-se sua morte do mesmo jeito e também sua tortura.


Os Queijos sem Coalho
Mas aí surgem os queijos sem coalho, que na maioria das vezes são cremosos. O catupiry, o “cream cheese” e o requeijão não entrariam na lista da famosa “carne amarela”, mas surge então outro problema.

Leite Mata
Como é possível que o leite mate alguém? Afinal, nós sabemos que nossas mães nos amamentam e produzem leite, mas nem por isso morrem. A resposta vem do fato de que toda fêmea mamífera só dá leite quando está grávida e como bebemos leite (bovino, caprino e outros) todos os dias, as fêmeas devem ser constantemente engravidadas (forçadamente por mãos humanas colocadas dentro de sua vagina) para produzir o leite. Atualmente, as vacas leiteiras são o produto de uma seleção artificial absurda, que criou vacas que produzem mais leite do que poderiam agüentar. Isso enfraquece o animal e diminui consideravelmente seu período de vida e também cria feridas e dor. Mas e o bezerro? De fato, se a vaca só pode gerar leite quando é engravidada artificialmente, ela também gerará um bezerro e este bezerro não é bem-vindo na indústria leiteira, afinal ele vai tomar o “nosso” leite da mãe, então, os filhotes machos são separados das mães e eles são deixados em um local escuro para definhar de sub-nutrição. Sua carne é vendida como iguaria e tem o nome de baby beef, veau ou vitela.
A vaca, por outro lado, depois de parir por dezenas de vezes e ser separada de seus filhotes (é fácil encontrar vídeos dos gritos da vaca e de sua tristeza quando o filhote é separado) vai para o matadouro quando não serve mais para gerar lucros.



E o Leite Orgânico?
Orgânico parece uma palavra mágica, mas mesmo que a vaca não seja alimentada com ração transgênica, ela ainda sim é forçada a engravidar e tem seu filhote afastado. Como negócio, os orgânicos não podem ficar no prejuízo e, portanto, tudo é utilizado - como a carne do bezerro macho - ou descartado - como a vaca que já não produz como antigamente. No final, o animal ainda é nossa propriedade e é impedido de viver sua vida para si.

E a vaca do meu quintal?
Você pode argumentar que a vaca do seu quintal ou do quintal de um amigo dá leite a cada cinco anos e um filhote e que beber este leite não tem problema algum, já que não houve gravidez forçada, nem morte do filhote, porém é preciso entender que os animais têm o direito de manterem seus corpos e secreções para si e que eles não foram feitos para nós, mas para viverem por si mesmos. Assim, beber o leite da vaca do quintal continua a explorar o animal, afinal, nós usamos algo que é deles e feito para eles.


Ovo-vegetarianismo
Quando percebi os problemas relacionados ao leite, eu parei de beber e comer por completo os seus derivados, porém o ovo se manteve e eu mal imaginava que galinhas poedeiras, assim como as vacas, também têm seus recursos reprodutivos explorados pelo ser humano. De fato, o ovo da galinha é a sua menstruação, quando não há fecundação, mas a galinha naturalmente não dá ovos todos os dias quando seus ovos não lhe são retirados. Geralmente, o que acontece na natureza é que a galinha menstrua e come sua menstruação, reequilibrando a perda de cálcio do ovo que botou. Quando o ser humano intervêm, este balanço muda e a galinha perde muito cálcio e adoece com muita facilidade e quando já não consegue mais botar ovos com certa frequência, ela é levada ao matadouro.


Se é natural a galinha comer seus ovos, por que ela não os come no aviário?
Isto é simples. A galinha tem o bico cortado quando pequena. Isso faz com que ela não consiga comer os próprios ovos e isso também evita que elas debiquem umas as outras sob o forte estresse das gaiolas sujas e pequeninas em que vivem a vida toda. Por fim, é ainda preciso entender que a fêmea vai para a casa de tortura, mas os pintinhos machos, por não produzirem ovos, são mortos e triturados assim que seu sexo é descoberto.

Eu como ovo orgânico (...)
Assim como no caso do leite, os ovos orgânicos continuam a explorar as galinhas, pois apesar de viverem soltas, seus recursos reprodutivos lhe são roubados. Em negócios orgânicos, as galinhas velhas são levadas ao açougue e, em quintais de vizinhos, elas parecem viver felizes, mas ainda assim não conseguem ter a vida plena e natural, pois seus recursos são insistentemente roubados pelos humanos.


Nem tudo é comida
Algo que ainda é preciso considerar dentro do contexto de lacto-ovo e outras formas de vegetarianismo é que o vegetariano não come a carne, mas usa o couro ou a gordura do animal em seus produtos de beleza e limpeza. Além disso, não se considera a exploração dos testes em animais de muitos produtos e de outras formas de exploração envolvendo outros seres vivos, como as abelhas (mel), ossos em bijuteria e instrumentos musicais, pérolas e madre-pérola, uso de penas em travesseiros, entre outros. Assim, depois de termos visto que parar de comer somente carne não resolve o problema dos animais de maneira alguma, é preciso repensar nossa forma de agir no mundo.


Os vegetarianos se importam
Este texto não tem a intenção de apontar o dedo para os vegetarianos, mas de abrir os olhos de muitos deles, pois geralmente eles se importam com o sofrimento animal. Eu já fui lacto-ovo-vegetariana e usava couro. Eu nunca tinha pensado a respeito de minhas contradições. Todavia, foi a internet e muita busca que me fizeram perceber as falhas de meu modo de agir e hoje, depois de dois anos de veganismo, posso assumir que ser vegana é uma forma muito menos contraditória e muito mais efetiva para a libertação dos animais. Além disso, o veganismo também ajuda a proteger as florestas do desmatamento, pois as vacas leiteiras e galinhas poedeiras se alimentam da soja produzida em solo desmatado. Assim, assumindo todas estas vantagens, os vegetarianos devem considerar optar pelo veganismo um dia. Sei que muitos irão repensar suas ações, pois vocês já se importam.

Os limites do veganismo
Existem limites no veganismo e uma discussão sobre eles está exposta no texto “Por que os limites do veganismonão importam”. Para discussões sobre veganismo e seu contexto político, sugiro “Reflexões sobre um Veganismo capitalista” e para aqueles que procuram adentrar no veganismo e procurar a transição, existem vários textos na aba “veganismo”que podem te auxiliar.
Por fim, o grupo no Facebook “Troll Ajuda” possui uma equipe disposta a retirar dúvidas de pessoas interessadas no veganismo, sem nenhum compromisso e muito menos intolerância. Se você se interessou no veganismo, você pode se inscrever no grupo. Para mais informações sobre os direitos dos animais, sugiro o filme “Terráqueos” que resume muito bem todas as facetas da exploração animal em nossa sociedade.

Amo ser vegana!
Tudo é saboroso e tudo cheira a paz!
Tudo é amoroso e esqueci do tanto faz
Meu dia é esperança porque é muito eficaz.


Paz!

Post A Comment
  • Blogger Comment using Blogger
  • Facebook Comment using Facebook
  • Disqus Comment using Disqus

13 comentários :

  1. Estava nessa zona de conforto e acordei. Bora acordar vegetarianos.

    ResponderExcluir
  2. Olá Tudo bem?
    Gostei de seu texto apesar de concordar em partes, pois como em meu caso por exemplo,sou ovo-lacto-vegetariano,e tenho 14 anos.Porém um adolescente em desenvolvimento como eu que já teve contato com a carne,tem uma enorme dificuldade em ser vegano, pois o leite e os ovos são essenciais para meu desenvolvimento físico.Apesar de existirem suplementos contendo o complexo B,torna se inviável partindo se do princípio de que moro em uma cidade do interior onde se tem uma certa dificuldade de encontrá los ou até mesmo trazê los para cá pois a demanda é muito pequena.E eu também não diria que ser ovo-lacto-vegetariano em nada auxilia pois eu entendo que cada um ajuda como pode.
    Aguardo respostas e aceite isto não como uma uma crítica negativa, mas sim como uma construtiva

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anônimo, seu relato foi muito enriquecedor. O que tenho a te dizer é que como você vive com sua família e ainda depende deles financeiramente, fica mesmo difícil virar vegano, principalmente porque é possível que seus pais sejam contrários. Então, o que te aconselho é esperar até ter independência. No caso de seus pais terem a mente mais aberta, eu aconselho você a conversar com eles e entrar no grupo do Facebook "Troll ajuda". Este grupo é um grupo de veganos que ajuda não veganos interessados no veganismo. Você pode perguntar o que quiser e tirar todas as suas dúvidas, mas já vendo seu relato, posso responder algumas:
      - Derivados não são necessários para o desenvolvimento nem da criança e nem do adolescente. A única suplementação que é necessária no veganismo (baseando-se em uma dieta saudável) é a B12, fora isto, os vegetais providenciam o ferro, o cálcio, proteínas em plena quantidade e muito mais. Para saber mais, eu te recomendo o vídeo "Crianças veganas", ue mostr ao relato de várias crianças veganas. Se seus pais forem favoráveis e você quiser ir adiante, é recomendável ir a um nutricionista (preferencialmente especializado em dietas vegs).
      - Sobre o custo, ser vegano não é caro. Fica esta ideia de ser caro porque os produtos industrializados são muito caros mesmo, mas você pode comer o que todo mundo come, como arroz integral, feijão, grão de bico, lentilha, legumes e verduras da feira, frutas, tudo isso contendo muita proteína.
      - Mando os links abaixo para você se informar. Espero ter ajudado e se tiver mais dúvidas, pode entrar em contato.
      Grupo Troll Ajuda no Facebook : https://www.facebook.com/groups/trollajuda/?fref=ts

      Vídeo "Crianças veganas": https://www.facebook.com/video.php?v=953571351323663&set=vb.837375046276628&type=2&theater

      Excluir
    2. Olá Camila, Estou muito grato e satisfeito com sua resposta,agradeço sua dica do grupo e do vídeo e farei o que for preciso para me tornar vegano, conversarei junto a meus pais e verei o que poderemos fazer.
      Você pode me ajudar com certas dúvidas que eu tinha e isso foi de grande ajuda.
      Obrigado e Até logo.

      Excluir
    3. Olá Anônimo, se tiver alguma dúvida, estou à disposição. :)
      É só mandar um e-mail para pensandoaocontrario@gmail.com
      Paz!

      Excluir
  3. Oi sou Thalita, boa tarde! Tenho 16 anos e tem 6 meses que me tornei lacto-ovo-vegetariana e pretendia me torna lacto-vegetariana e depois de ler esse texto me sinto péssima porque pensei que assim estava ajudando e vejo que não estou. Pensava em me tornar vegana com o tempo, quando fosse mais velha até porque os meus não aceitam bem eu ser vegetariana imagina vegana e também não sei se me adaptaria de uma hora pra outra, sei que isso não é desculpa e por isso me sinto péssima. Vou tentar evitar ao máximo não comer essas coisas e virar vegana o mais rápido possivel!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Thalita, tudo começa pelo coração e não se preocupe, pois o fato de você já sentir este impeto por mudar a si mesma já demonstra uma grande luz, então não se deixa abalar pelas dificuldades, mas lembre-se que é preciso comer saudável. Em resposta anterior em outro post eu recomendei o grupo Troll Ajuda, que realmente auxilia pessoas em transição ou com dúvidas. Inscreva-se no grupo e peça ajuda. Lá tem muito material e é importante que você se informe antes, pois muitas pessoas - no impulso de virarem logo veganas - só tiram os derivados e comem muito mal (só lanche, pão, farinhas) e isso pode levar a pessoa a adoecer. É importante ler sempre, pois temos que reaprender a comer. Infelizmente, nossa cultura é animalcêntrica e nos ensinam errado que precisamos dos animais para viver. Quando a gente percebe, tem que reaprender tudo de novo a partir dos vegetais. Por fim, tente conversar com seus pais, às vezes é até possível que eles respeitem sua decisão. Boa sorte e desejo força na sua jornada. Paz!

      Excluir
  4. Bacana seu texto... Sou vegetariana há 6 anos e meio e no momento estou em transição para o veganismo... Só queria apontar que é um erro muito comum veganos imaginarem que a única coisa que os vegetarianos fazem é parar de comer carne. No mesmo dia que parei de comer carne, decidi nunca mais comprar nenhum objeto de couro. E logo em seguida parei de comprar cosméticos de marcas que realizam testes em animais... Portanto, isso é algo muito pessoal... Dizem que vegetarianos não comem carnes e veganos não comem carnes, derivados além de se preocuparem com tudo o que já apontei, no entanto basicamente todo vegetariano que conheço também não compra couro e boicota determinadas marcas, senão seria muito contraditório.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Juliana! Gratidão pelo comentário e desejo força na sua jornada pelo veganismo! Bem, fico feliz que alguns vegetarianos sejam mais conscientes. Talvez seja o advento da internet, que faz com que mais pessoas tenham acesso à informação. Mas de qualquer maneira, mesmo evitando o couro e os cosméticos, isto ainda não basta, entende? Acredito que cada pessoas tenha seu tempo e eu também tive o meu! Eu virei lacto-ovo-vegetariana aos quinze anos e não tinha internet. Usava couro sem pensar e nem sabia dos testes. Depois, eu fui lendo mais, estudando mais, cortei o queijo com coalho, cortei o leite, cortei os ovos orgânicos (que acreditava ser éticos, mas não são), o mel e virei vegana. Este foi meu tempo. Tem gente que já nasce vegano. O ponto mais importante é entender que o lacto-ovo-vegetarianismo não basta. Se você ainda está nesta fase e sabe disso e está tentando mudar a seu tempo, ótimo! Este texto é voltado mais para quem não sabe disso e ficou estagnado neste tipo de vegetarianismo. Quanto ao veganismo, depois que a gente vira vegano, a gente enxerga que tem muito mais que fazer e tem gente que estagna ali também, mas este é assunto para outro post :) Paz!

      Excluir
  5. Olá, ainda não sou vegetariano, nem vegano, nem nada do tipo, na verdade pelo contrário, como muita carne e outros alimentos de origem animal, inclusive coisas que eu nem sabia que tinham essa origem. Mas de uns dias pra cá venho me sentindo mal tbm, por ver como os animais sofrem na mão do ser humano, não só pelo fato de serem mortos, mas tbm pelo jeito como são explorados... por favor, vou perguntar e espero estar sendo o mais respeitoso possível, mas talvez sua resposta possa ser algo que me motive ainda mais a prosseguir com essa ideia de "largar" esse modo de viver...
    Se na natureza, os animais comem uns aos outros para sobreviverem, serem saudáveis, etc., pq nós como animais estamos errados em fazê-lo tbm na sua opinião? (considerando que exista "respeito" no modo com que isso seja feito). Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anômino! Gratidão pelo comentário! Bem, respondendo sua pergunta: não há respeito na morte desnecessária e nunca haverá. O leão ou a onça ou um outro carnívoro precisam comer a carne. Se eles não a comem, eles morrem, certo? E há um instinto neles para procurar este tipo de alimento. Nós humanos já não precisamos comer carne para sobreviver e nem derivados. Neste caso, matar um animal, quando, na realidade, você não precisa matá-lo é um ato desrespeitoso e anti-ético para com a vida. Um leão DEVE comer, mas um humano ESCOLHE comer. Esta é a diferença. Claro que se nós precisássemos de um aminoácido que só existisse na carne, possivelmente a questão que você coloca seria mais complicada, mas este não é o caso. Olhe para mim: sou vegana há três anos. Não como nada de origem animal há três anos e antes fui lacto-ovo-vegetariana por mais três. Ou seja, não como carne há seis anos e nem leite, nem ovos, mel e queijos há três. Estou mais saudável do que estava antes. Não sou o único exemplo, mas apenas uma em milhões de humanos que ESCOLHERAM que preferem respeitar a vida a se deixar levar pelos hábitos culturais. Como diz Cazuza: "a vida é tão rara!" Para quê torturar, fazer sofrer e destruir a vida, se nós podemos evitar isso? Claro que existem as plantas, mas, neste caso, aí sim, nós não podemos ESCOLHER (pelo menos não por enquanto). Temos que comê-las, assim como o leão come a carne. Te desejo muita força em sua jornada e me disponho a esclarecer suas dúvidas sobre veganismo. Mande um e-mail para o site ou outro comentário se tiver mais dúvidas! Apenas posso te dizer por experiência prórpria que tornar-se vegana me deu mais luz interior e me fez uma pessoa melhor. Como diz Renato Russo: "não sou escrava de ninguém. Sou a senhora do meu domínio"! Lembre-se disso: nós como humanos podemos ser senhores de nosso domínio, já os outros animais estão em outra missão! Paz!

      Excluir
  6. Querida Camila Gomes Victorino

    Parabéns pela sua participação nessa luta pelo veganismo e pela paz mundial.

    Um grande abraço e fique com DEUS;
    Dener

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gratidão, Dener! Fique com Deus também! Abraço! Paz!

      Excluir

Ajude a Enriquecer o nosso Blog, Contribuindo com sua Opinião!


[REFLEXÕES][grids]