[ECOTUTORIAIS][bleft]

É Possível Ser Vegan, Morando Com os Pais?

Será que é possível ou melhor deixar pra lá? Fonte

Sempre vejo muitas pessoas perguntando o que devem fazer quando os pais não aceitam seu veganismo. Claro, que neste caso, estas pessoas ainda moram com os pais e, mais importante, são dependentes financeiros deles.
Assim, imagine que você resolveu virar vegan e está bastante engajada ou engajado na causa dos direitos dos animais. Você chega em casa decidida, mas se dá conta de que seu pai te preparou uma macarronada bolonhesa. Você já tinha explicado para ele que veganos não comem nada de origem animal, mas ele finge náo entender e continua a colocar derivados em todas as refeições. Além disso, sua mãe, irmã, tio e todo mundo da família começa a fazer coro contra você! Parece que não tem saída! Parece até que vai ser impossível ser vegan. Será?
Foi pensando nas pessoas que são dependentes financeiros de alguém que é contrário ao veganismo (pode ser esposa, marido, pai, mãe, avó etc) que eu resolvi pensar em algumas estratégias que vão tornar possível o veganismo deste público. Isso, claro, sem que você precise “fugir de casa”. Vamos começar então pelo mais básico: a comida.

O mundo vegano do onivorismo

Alimentos "veganos" estavam lá e nem você sabia. Fonte

Quando se pensa em veganismo, logo se pensa em coxinha de jaca, chantilly de creme de coco, esfiha de brócolis com tofupiry. Bem, tudo isto parece muito complicado e por isso a gente imagina que vai ser impossível ser vegan em uma casa em que vocë náo cozinha e não tem dependência financeira para comprar os ingredientes específicos. O que nos esquecemos é que há um paraíso de comida vegana saudável e cheia de proteínas, minerais, vitaminas, carboidratos e lipídeos na sua dispensa, aparentemente onívora e avessa ao veganismo.
Vamos listar então o que você pode comer sem que seus pais saibam que você ainda é vegan (eles possivelmente vão até achar que você desistiu do veganismo).

Arroz com feijão

Toda família tem arroz com feijão. Fonte

O arroz com feijão é a combinação que nunca falta na mesa do brasileiro e tem todos os aminoácidos essenciais que o ser humano precisa. Ou seja, proteína! No caso do arroz branco, ele contém mais carboidratos e menos aminoácidos do que a versão integral, então, caso exista uma pequena abertura com os seus pais, você pode tentar convencê-los a comprar o arroz integral, ao invés do branco. O parbolizado é uma melhor versão do que o branco, mas não tão boa quanto o integral. Caso seus pais não queiram cozinhar dois tipos de arroz, você pode pedir para eles misturarem um no outro ou comprar outros tipos de arroz ou cereais para enriquecer o arroz branco. As opções para mistura são: arroz vermelho, arroz negro, quinoa e amaranto. Claro que você não precisa pedir para eles comprarem porque você virou vegan. Só diga que o arroz ficará diferente e mais saudável e gostoso. O que não é mentira, aliás!

Quanto ao feijão, vai depender de como é a sua tradição familiar. Na minha casa, o feijão era sempre sem bacon e totalmente vegetariano, mas sei que algumas famílias têm tradição de pôr bacon no feijão. Neste caso, há duas opções:

1) Peça para separar o feijão para você antes de temperar e verifique se seus pais te deixam cozinhar. Se você souber cozinhar, refogue com alho e cebola, coloque pimenta calabresa, salsinha, coentro e tempero baiano e está pronto. Se você já puder cozinhar em casa, mas não sabe como fazê-lo, observe e siga tutoriais na internet para aprender. Com os vídeos não tem segredo.

2) Peça para não ter bacon. Neste caso, pode ser que ninguém aceite. Tente argumentar para o fato de que sem bacon é tão gostoso quanto e mais barato. Se ainda não convencer, volte para opção número 1.

Caso você seja prá-adolescente

Evite usar panela de pressão e aparelhos perigosos. Fonte

Se você ainda é pré-adolescente, não é seguro tentar cozinhar o feijão por si só, pois é necessária uma panela de pressão. Peça para seu pai ou mãe cozinhar mais feijão e congelar antes de temperar. Descongele e tempere quando for comer. Se eles não quiserem cozinhar a mais, existem outras opções de leguminosas ricas em proteína e que não requerem a panela de pressão. Uma delas é a lentilha. Leia mais sobre o assunto abaixo.

Graõ de bico, feijão branco e lentilha
Olhe a dispensa e cheque por alguns destes ingredientes, muito comuns na casa de onívoros.

Grão de bico – super rico em proteína, pode gerar homus, salada de grão de bico ou hambúrguer de grão de bico. Nenhum pai onívoro vai notar que é vegano. Requer uso de panela de pressão.

Feijão branco – Rende salada e pode até ser levado de marmita ou lanche, pois come-se frio. Requer uso de panela de pressão.

Lentilha - não precisa de panela de pressão como os outros dois e pode render uma sopa ou hambúrguer delicioso. Para a sopa, cozinhe a lentilha, refogue alho e cebola, jogue a lentilha no refogado, adicione água e espere ferver. Adicione cenoura e batata semi-cozida e outros legumes picados de sua preferência, como mandioquinha, abobrinha etc. Esta é uma ótima receita, bem fácil de fazer e deliciosa. Esta sopa é super proteíca e saudável e serve para almoço e janta. Você ou sua mãe ou pai pode congelar e ir comendo durante a semana. Este é um típico prato vegano disfarçado de onívoro.

Outra receita: misture lentilha cozida com arroz branco (ou integral) e muitas cebolas refogadas. Leve ao forno. Receita proteíca de Festas de fim de ano. Vegana, mas ninguém sabe.

Milho – O milho cozido também tem muitas proteínas e fibras e está na mesa de muitas famílias do Brasil. É fácil de fazer e pode ser regado com azeite ou óleo de cozinha de sua preferência. Quando seus pais fizerem e levarem à mesa, apenas troque a manteiga por alguns destes óleos e sal à gosto.

Observação: o milho no Brasil é transgênico. Há muita controvérsia e estudos mostrando que transgênicos podem sim fazer mal à saúde, além de poderem levar à uma catastriofe ecológica no futuro por conta da extinção das abelhas e diminuição da biodiversidade de sementes. Por fim, afeta os pequenos produtores e monopoliza o alimento nas mãos de poucos. Converse com seus pais sobre isso e tente trocar o milho comum pelo orgânico.

Abóbora contém proteína e muitos minerais e vitaminas. Fonte


Vagem – vagem é uma leguminosa menos proteíca, mas é super fácil de fazer. Cozinhe por uns 15 minutos, regue com azeite e sal e coma. Seus pais podem fazer como acompanhamento no almoço ou você mesmo pode cozinhar, se for permitido.

Abóbora – Cuidado com abóbora com bacon. Se sua família não tem tradição com o bacon, coma sem culpa a abóbora refogada com arroz e feijão. Contém proteína e muitas vitaminas e minerais. Se tiver bacon, converse sobre a possibilidade de não usar bacon ou separe a sua.

Sementes da abóbora – quando sua mãe ou pai forem cortar a abóbora, peça para não jogar as sementes fora. Reserve, lave e tire a parte gelatinosa. Seque no forno e coma no café da manhã ou use em vitaminas ou no lanche. Elas são ricas em zinco, um importante mineral.

Legumes diversos – legumes como jiló com tomate, abobrinha refogada, beringela em conserva, maxixe refogado etc são ótimos acompanhamentos e estão presentes em quase todos os lares do Brasil. São veganos, mas ninguém sabe. Coma com arroz e feijão ou outro grão ou com macarrão.

Macarronada – Se sua família tem tradição de macarronada de domingo, a dica é fazer seu próprio molho. Não se preocupe, você não vai precisar de muitos aparelhos. A dica é pegar tomates bem maduros e fazer como neste vídeo aqui! Rápido, prático e gostoso.

O vídeo está sem legendas, mas dá para entender como ele faz o molho. Os ingredientes são: tomates maduros, azeite de oliva, sal a gosto e manjericão fresco. Você vai precisar de um ralador e um pote. Bom apetite!


Quanto ao macarrão

Fique atenta no macarrão. Ele pode conter ovo ou pó de leite. Leia os ingredientes e se fizer compra com os pais, converse com eles para que massas sem ovo sejam adquiridas. Elas são geralmente de melhor qualidade. Um argumento que você pode utilizar com eles é que a receita de macarrão original não vai leite e ovos, ou seja, adquirir um produto sem derivados é ficar mais próximo da tradição italiana.

E se eles não quiserem?

Salada de bifum é super fácil e deliciosa. Fonte

Você pode pedir para comprar um à parte e se não encontrar ou for muito caro, peça para comprar um macarrão de arroz, estilo bifum. Geralmente se encontra em lojas japonesas e em alguns supermercados.

E o queijo ralado?
Se você está preocupada ou preocupado com a falta de queijo ralado na macarronada, você pode substituir por castanha ralada. A melhor opção é a castanha do Pará, mas qualquer outra serve. Converse com seus pais e veja se eles podem comprar um pacotinho de castanhas para você no supermercado ou feira. Rale com ralador pequeno e espalhe no molho.

E a proteína da macarronada?
Como você tirou a carne do molho, pode ser que você fique sem opção de proteína. Não se preocupe! Nós não precisamos comer proteína todos os dias. Se você já come arroz integral e feijão na maioria dos dias, aliado com legumes, outras leguminosas, mandiosa, batata etc, você já tem uma reserva boa de aminoácidos essenciais, minerais e vitaminas. As frutas também complementam, assim como as saladas. Não precisa de soja, não precisa de tofu!
É importante, porém, ressaltar que se você não se alimentar direito e comer apenas lanches, macarrão, miojo todos os dias, você tem uma probabilidade de ficar doente. Aliás, qualquer pessoa tem, não é porque você virou vegan. Portanto, preste atenção na sua alimentação e coma mais natural. Todo 
mundo deve pensar na alimentação, não só os vegans. 

Como comprar B12 sem o dinheiro dos seus pais

Ajuntar e economizar já! Fonte

Agora que você já sabe que existem vários pratos veganos na mesa dos onívoros, você pode ficar mais tranquilo e perceber que é possível ser vegan na casa dos pais. Porém, se você é dependente financeiro deles e eles são contrários ao seu veganismo, como conseguir suplementação de B12? Bem, a primeira estratégia é ajuntar dinheiro da mesada, se você ganha alguma, a segunda é ajuntar dinheiro do seu salário, se você já trabalha e se você não tem mesada e nem salário, você pode tentar ajuntar o dinheiro do ônibus ou do lanche, caso receba algum de seus pais. Eu voltava à pé da escola para economizar dinheiro do ônibus. Pode ser uma saída. Outra solução é ter uma conversa séria com seus pais sobre seus sentimentos. Veja mais sobre isso abaixo.

Comunicação não violenta




Conversar pode ser a melhor solução. Fonte

Aqui é aquela parte que a gente acha que não vai conseguir e por isso muitas vezes não tenta. Antes, vamos pensar que todo ser humano é ignorante e ninguém quer ficar na ignorância, claro! É muito possível que seus pais sejam contrários ao seu "estilo de vida" porque se preocupam com você. Eles devem pensar que você vai ficar doente, que você vai comer mal, que veganismo é radicalismo etc. De outro modo, pode ser que a origem do problema não seja a preocupação com você, mas o fato de que eles auto-justificam a culpa quando você fala sobre os animais. No caso, pode ser que eles usem argumentos de auto-defesa para continuarem como estão, como a Bíblia diz ou os homens das cavernas comiam carne ou é assim e sempre será etc. 
Os dois casos podem ser corrigidos com uma boa conversa, usando estratégias diferentes: se a origem da preocupação for você, tente ler sobre o assunto e usar argumentos que mostrem que os veganos são muito saudáveis e a comida é gostosa e barata (mas eaqueça os congelados e chocolates finos. Isto é caro, mesmo não sendo vegan). Você pode convidá-los para uma conversa e mostrar algumas informações para eles. Comece falando sobre seus sentimentos, o que está sentindo e por que esta é uma decisão importante na sua vida e depois, use os argumentos para mostrar que você ficará bem.

Se o problema com seu veganismo for mais ligado à culpa que seus pais sentem por eles explorarem os animais, você também deve convidá-los para uma conversa e abrir seu coração. Diga que você se sentirá melhor assim e que precisa de seu apoio e que em nenhum momento exigirá que eles virem veganos. Não tente convencer seus pais a virarem veganos com argumentos ou vídeos. Tudo a seu tempo! Primeiro é importante entender que eles já estão se sentindo culpados, mesmo que não transpareçam, e a ideia de dificultar sua vida é apenas uma saída para suas consciências pesadas. Neste caso, respeite e apenas tente explicar o que você quer para sua vida e se eles podem apoiar você. Depois que eles derem abertura e passar um tempo, você pode começar a introduzir pratos veganos no dia a dia ou convidá-los para um evento, mas nada muito brutal.

E se meus pais não me ouvirem e me criticarem?

Às vezes ter paciência é a melhor solução. Fonte

Bem, isto pode acontecer. Existem pessoas que realmente não darão abertura a nada e se sentirão ameaçadas pela sua nova escolha. Se você for um pré-adolescente, você pode ir comendo a comida do dia a dia que citamos acima e sempre tente se informar sobre nutrição vegana na internet para comer o mais saudável possível. No mais, tenha paciência e aguarde até arranjar seu próprio emprego. Se sentir que ainda não dá para ser totalmente vegan, como com relação aos produtos de limpeza, cosméticos, roupas e até dinheiro para ir nos eventos ou manifestações, não se culpe. Tenha paciência. Esta é só uma fase de sua vida. Às vezes, nós temos que ter paciência para nos auto-realizarmos e quando o dia chega, é maravilhoso.
Caso você seja um jovem adulto, não há desculpas. Você mora com os pais, mas pode cozinhar sua própria comida e comprar alguns ingredientes ou a B12 com seu salário. Se você ainda não trabalhar, arranjar um estágio de meio período pode te ajudar. Caso você não tenha tempo para cozinhar, cozinhe no fim de semana e congele. Há vários pratos saudáveis e rápidos, como a sopa de lentilha, 
que são práticos e fáceis de fazer.

Esqueça o veganismo complicado

Lembre-se das feiras, dos mercadinhos. Frutas e legumes estão em todo lugar. Fonte

Veganismo complicado é história de publicidade. Claro que é preciso reaprender a se alimentar e consumir, mas os ingredientes estão no dia a dia de todo mundo, na feira, no mercadinho etc.  Só basta ler e se informar na internet.

Veganismo não é dieta

Bem, a parte mais básica diz respeito à alimentação, mas e o resto do veganismo? Como você é dependente financeiro dos seus pais, a ideia é tentar usar a criatividade e fazer seus próprios cosméticos com ingredientes do dia a dia. Vá na sessão “AUTOSUFICIÊNCIA” do blog para conhecer algumas receitas. No momento, a discussão dos produtos de limpeza fica de fora, pois seus pais são responsáveis pela limpeza da casa. Quanto às roupas, calçados de couro sintético são mais baratos e este é um ótimo argumento para ser usado com seus pais.

Mais dúvidas? Se tem mais dúvidas, mande um comentário, leia os textos da sessão “VEGANISMO” do blog ou entre no grupo TrollAjuda do Facebook, que responde todas as suas dúvidas sobre veganismo amigavelmente e gratuitamente.




 Autora: Camila Gomes Victorino 












Post A Comment
  • Blogger Comment using Blogger
  • Facebook Comment using Facebook
  • Disqus Comment using Disqus

6 comentários :

  1. Ótimo, só gostaria que você fizesse uma correção: já está comprovado que a B12 não é oriunda somente da alimentação animal...ela é rica na soja, no amendoim e nosso corpo produz quando se tem uma alimentação balanceada. Nenhuma vegano deve se preocupar com a carência de B12 se come grãos essenciais. Isso é mito. Por favor, seu artigo está ótimo, mas pesquise essas informações que te dei e retifique para ficar excelente. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Luciane! Gratidão pelo comentário. Você poderia me passar as fontes de sua afirmação? Eu tenho formação científica e há algum tempo pesquiso sobre a B12 em artigos científicos, mas não encontrei nenhum estudo válido sobre presença de B12 em vegetais. em alguns cogumelos, ela existe, mas existem vários tipos de B12 (diferentes moléculas) e esta não é metabolizada por nós. No confrei ela existe em pouca quantidade e teríamso que comer muito (o que é potencialmente ruim para o fígado) e em espirulina e algas, ela também não é metabolizável. Por fim, nós temos bactérias produtoras de B12 (são as bactérias que produzem e não os animais), mas elas se encontram no intestino grosso, ou seja, elas não conseguem ser absorvidas por nós e vão para as fezes. eu pergunto pelas fontes porque as suas afirmações me espantaram muito. Nunca ouvi nenhum nutricionista vegano falar sobre B12 em amendoim e grãos essenciais, a não ser quando vem da sujeira exterior que fica no alimento (que é irrisória para nossas necessidades) e todos dizem que é preciso suplementar. Estou curiosa e prometo ler com cuidado e até fazer um post sobre isso, mas enquanto não tiver as fontes, não direi aos meus leitores para pararem com a suplementação, pois isto seria irresponsável da minha parte. Gratidão mais uma vez. Paz!!

      Excluir
    2. Luciane Pires, veja o vídeo do Dr. Erick Slywitch da SVB (https://www.youtube.com/watch?v=ePqY-eY7sps). Tam gostaria de saber suas fontes científicas para a afirmação que B12 vegetal é metabolizável.

      Camila, excelente! E ainda adiciono que para responder às perguntas idiotas sobre veganismo que os familiares certamente farão, veja alguns vídeos aqui (https://www.youtube.com/channel/UCLJM5tW9y0KpbKo-F7-kGEQ).

      Abraços!

      Excluir
  2. Em casa é diferente EU sou a mãe e sou eu que cozinho comida vegana.
    se quiserem derivados animais, tera de deixar a cozinha limpissima depois,..conclusão..melhor comer a vegana..pq se questionar;..mamis ativista cheia de argumentos..ahh melhor comer..senão esfria;

    ResponderExcluir
  3. As mães se preocupam, mas...se o filho(a) mostrar saúde..mostrar mais disposição,e que tem menos preguiça..os exames mostrarem saúde boa..e pra isso é só comer direito. até a mãe se convencerá e até outros da família podem perceber...que "não morreu,nem ficou em coma" rsrsrs

    ResponderExcluir
  4. Olá Camila, tudo bem?
    Acompanho seu blog a um tempo e adoro suas postagens!
    Tenho 16 anos e estou nesse processo de se tornar vegan. Realmente, é preciso muita conversas para convencer os pais a aceitarem esse estilo de vida que adotamos para nós. Recebi apoio de minha mãe e juntas estamos reorganizando o orçamento de casa para adquirir uma alimentação mais saudável; inclusive ela também começou a mudar seus hábitos e não come mais carnes. Agora estamos num processo de eliminar os derivados de animais, o que creio eu é um pouco mais difícil no se refere a sua substituição. Porém não irei desistir e peço para você continuar a fazer postagens direcionadas a este público iniciante do qual faço parte. Muito Obrigada e parabéns pela qualidade do blog. Abraços.

    ResponderExcluir

Ajude a Enriquecer o nosso Blog, Contribuindo com sua Opinião!


[REFLEXÕES][grids]