[ECOTUTORIAIS][bleft]

Davi Yanomani – o Dalai Lama da Floresta Amazônica


Davi Kopenawa Yanomani é um xamã indígena do povo Yanomani e também um grande defensor da floresta Amazônica. Devido a sua história de luta pelos direitos dos povos da floresta, ele é considerado como o Dalai Lama do Brasil, por pedir a paz entre os povos da floresta e os povos não indígenas e o fim da opressão contra a floresta. 

Segundo os Yanomanis, a floresta dá conhecimento. É através dos espíritos da floresta, os xapiri, que os xamãs conseguem entender o significado da vida e trazer saúde a seu povoado. Além disso, ela é também um lugar cheio de estímulos, beleza e provas, o que aumenta a atenção e nos faz aprender sobre o significado da vida.


É interessante esta visão, afinal, nossa civilização tem o costume de classificar a importância de tudo baseada na economia, no dinheiro, em commodities e algo parecido. Assim, a salvação da Amazônia depende de quanto ela vai render viva  e sua biodiversidade depende da quantidade de estudos científicos que demonstram que a floresta pode render novos fármacos e muitos milhões futuros para as companhias farmacêuticas. Enquanto isso não vem e enquanto é mais vantajoso derrubar e construir hidreléticas, dizimar culturas inteiras, destruir a complexa organização da floresta pela madeira, pela soja, pelo gado, a floresta será derrubada, pois, afinal, tudo é questão de bolsa de valores e nada mais.



Para Davi Yanomani, apesar disso, a floresta é mais do que economia e ele indica que é preciso que os amigos da floresta não a enxerguem e nem usem argumentos que somente vão de encontro ao seu valor econômico. Que a floresta é valorosa pela sua tremenda biodiversidade, nós sabemos; que ela é valorosa porque mantém o clima e por isso trás estabilidade econômica, nós entendemos, mas ela também é acima de tudo valorosa por si mesma e pelo conhecimento que ela trás ao ser humano como estudante da vida.

Diz ele, em uma entrevista concedida a Rádio Yandé:  “O meio-ambiente da floresta requer muito mais atenção ativa e estimula muito mais o seu pensamento. Não apenas porque ela é cheia de perigos, mas porque ela sempre oferece algo valioso, se você simplesmente está apto para perceber. É muito complexo."

É assim que os xamãs buscam na floresta a sua sabedoria e usam a planta Yakoana para adentrar nos seus reinos especiais. Segundo ele: “Apenas porque nossos anciões não tiveram escolas, isso não significa que eles não estudaram. Nós aprendemos com o Yakoana e com a floresta”.

Antes tidos como selvagens, hoje o que mais se vê é a selvageria por parte dos não indígenas. Destroem seu próprio povo, seu próprio planeta e se vendam propositalmente com a intenção de esquecer suas próprias maldades. Extermínio de animais, de seu habitat, dos rios, das águas limpas, do ar e da terra e tudo pelo poder pequeno que durará não mais do que uma vida de cem anos.



Para mim, depois de ler a entrevista com o xamã, posso ver o quão nossa sociedade está doente e precisa da floresta. Temos médicos, exames de ponta, hospitais luxuosos, mas nada disso pode nos curar de nossa sede por prazeres imediatistas. Antes nós tivéssemos um xamá para nos trazer paz de espírito e nos guiar rumo às responsabilidades de nossas ações, que apesar de muitas vezes pequeninas, ainda sim podem causar uma destruição tremenda quando unidas a todas as pequenas ações irresponsáveis de todos os outros humanos do planeta.

Nós nos fartamos com o bife, torturamos a vaca, pelo seu leite, nos vangloriamos com nossos cosméticos, químicos, toxinas, remédios sintéticos, parafernálias de novidade e todo tipo de adereço, que nos deixa tão pesados, que mal podemos encontrar paz em um quarto escuro e silencioso. E no final, estamos pedindo ajuda sem saber e o que mais precisamos é da sabedoria da floresta. Lá, ainda é possível encontrar os saberes dos povos indígenas, que com a ajuda dos espíritos da floresta, podem guiar uma nova civilização, mistura de mato com sabedoria e inteligência milenar.



Enquanto vermos a mãe natureza como inimiga, nós vamos continuar a nos manter cegos para a única verdade que não queremos ver: nosso remédio está nas nossas origens universais e estamos destruindo nossas origens, apenas pelo prazer insano do paladar e do pequeno poder. Assim, aprendi com o xamã que a natureza não está lá apenas para nos dar água, ar, terra e fogo; ela também está lá para nos dar sabedoria para sobrevivermos enquanto civilização.

Para ver a entrevista completa do xamã Davi Yanimani, clique aqui.

Quer ajudar a floresta, mas não sabe por onde? A pecuária é a principal causa de desmatamento da floresta Amazônica e também do Cerrado. Através das queimadas para produção de soja (ingrediente principal da ração animal europeia e norte-americana), mais a produção de pasto, nossos biomas de sabedoria e a nossa história de Brasil indígena estão sendo plenamente ameaçados. Para ajudar, basta uma ação simples: torne-se veganx. Aqui no site, muitos posts dão dicas de como se tornar veganx, facilitando sua vida. Ainda tem dúvidas, nos escreva um e-mail. Quando você se torna veganx, você salva a floresta, mas também impede a violência e monstruosidade contra os animais. Participe desta ação consciente que trará liberdade para todas as criaturas do planeta, sendo elas humanas ou não humanas.


Paz!


 Autora: Camila Gomes Victorino 

Gostou desta postagem? Ajude a divulgar o blog e seja um seguidor!



Post A Comment
  • Blogger Comment using Blogger
  • Facebook Comment using Facebook
  • Disqus Comment using Disqus

Nenhum comentário :

Ajude a Enriquecer o nosso Blog, Contribuindo com sua Opinião!


[REFLEXÕES][grids]