[ECOTUTORIAIS][bleft]

É Possível Viver De Comida Crua?

Por: Camila Gomes Victorino



Ser crudívoro é uma opção de vida saudável e que pode transformar a
saúde do indivíduo. N foto: totalmente cru. Fonte: RawFullyFull
Nem tudo são flores quando cozinhamos os alimentos para comer. Ao ferver, assar e fritar, nós destruímos várias vitaminas que poderiam ser muito benéficas para nosso organismo e, em alguns casos, nós transformamos substâncias saudáveis em nocivas apenas pelo excesso de aquecimento que o cozimento oferece. É por este motivo que mais e mais pessoas passaram a optar pela substituição de boa parte de seus alimentos cozidos pela versão crua. Alguns, todavia, foram além e passaram a uma dieta cem por cento crudívora.
O crudívoro é, na maioria das vezes, vegano, na medida em que não consome nenhum tipo de produto de origem animal, com exceção do mel, em casos de crudívoros não veganos. Além disso, tudo que ela ou ele consome é cru ou “cruzinhado”, ou seja, aquecido e uma temperatura que não queime as mãos do cozinheiro.

Este homem deu seu testemunho sobre como a alimentação
vegana crudívora o ajudou a perder peso e
melhorar sua saúde. Fonte: VeryVeryVegan
Comecei a me interessar pelo crudivorismo em uma tentativa de melhorar minha saúde pela alimentação, pois o veganismo não é necessariamente saudável, principalmente depois do crescimento do mercado de industrializados para este público, apesar disso, é possível ser saudável também sem abandonar o cozimento de alimentos. De maneira geral, o que devemos saber é que se comermos mais de 50% de nossos alimentos crus, nós já apresentamos uma boa chance de absorver boas quantidades de minerais, vitaminas e fibras, porém, mesmo os 50% parecem muito extremismo para a maioria das pessoas que pensam que o crudívoro só se alimenta de saladas. Fato é que isto é apenas um preconceito, pois a culinária crudívora é riquíssima e muito saborosa. No crudivorismo podemos encontrar leites vegetais (veja aqui post  sobre receitas de leites vegetais em: "Leite de soda ou leite de soja?"), sucos verdes (veja post sobre: "Reutilizando alimentos e acabando com o desperdício") e smothies vitaminados, sopas, tortas doces e salgadas, molhos e até mesmo lasanhas! Além disso, crudívoros não necessariamente comem alimentos frios, pois eles podem considerar o aquecimento em forno solar ou em vapor ou mesmo em fogão convencional, desde que a técnica do “cruzinhar” seja empregada. Por fim, muitos alimentos podem ser desidratados ao Sol ou em desidratador, criando versões de tomates secos, frutas e até pão!

Crudívoros não comem apenas saladas frias, tendo uma
alimentação tão diversificada a ponto de comerem
pizza crudívora. Vai um pedaço? Na foto: "Pizza Crua"
Fonte: Superrawlife
O famoso pão essênio não contém fermento e é feito com semente de trigo deixada de molho por algumas noites. As sementes são trituradas e misturadas com especiarias e deixa-se que a água evapore por desidratação.
No fundo, as técnicas crudívoras querem evitar que o alimento perca a sua “energia vital” ou, para os paladares mais científicos, todos os componentes que seriam destruídos por cozimento. Estarão eles corretos? Bem, você já deve ter notado que o cozimento de brócolis, cenoura e couve desbota a cor destes vegetais. Na realidade, o desbotamento indica uma mudança na quantidade de vitaminas e compostos benéficos, como o beta-caroteno, na cenoura, por exemplo, que lhe dá a cor alaranjada. No caso da batata ou outros alimentos com grande quantidade de amido, a cor não mostra a modificação, porém alimentos com excesso de amido quando expostos a altas temperaturas produzem acrilamida, uma substância tóxica para o organismo. Apesar disso,cozinhar nem sempre é danoso. No caso do tomate, por exemplo, seu cozimento torna o licopeno mais bioativo do que se consumido cru. Moral da história: alguns alimentos são exceção a regra do crudivorismo, o que não invalida a alimentação crua, já que grande parte deles é mais saudável se comido o natural.

Este fudge de chocolate é cru e delicioso! Posso afirmar!
Fonte: RawFoodLifeStyle
Mas, será possível comer tudo cru? É de se esperar que crudívoros sejam veganos não apenas pela consciência ambiental e de direitos dos animais que carregam, mas pelo fato de que proteína animal não cozida pode ser perigosa. E como eles conseguem suas proteínas? Bem, como os veganos, eles as conseguem através de castanhas, leguminosas, cereais, cogumelos e todos os vegetais com sua infinidade de proteínas disponíveis e assim como sabemos que não se é necessário comer carne para obter proteínas, também não se é necessário cozinhar o alimento para obtê-las. Porém, como leguminosas tendem a ser muito duras e às vezes até conter substâncias indigestas, feijões, como grão de bico e lentilhas, são deixados de molho por alguns dias e, no geral, espera-se que germinem. Soja e feijão carioca ou preto não são aconselhados, pois o calor é necessário para destruir algumas de suas toxinas.

Até mesmo lasanhas cruas foram desenvolvidas para abrir o apetite.
Fonte: The Raw Chef
No geral, eu vou pelo meio termo. Eu acredito que mais de cinqüenta por cento de nossa alimentação diária deva ser crua, pois conseguimos obter mais vitaminas e minerais do que no cozimento. Além disso, evita-se a incorporação de substâncias tóxicas que se criam com o excesso de calor. Porém, não acredito que o cozimento deva ser banido, pois alguns alimentos tornam-se mais palatáveis e até mesmo liberam mais substâncias quando cozidos, como é o caso do tomate e dos feijões. De qualquer jeito, aprendi que comer cru é muito saboroso e quem acha que crudívoro “pasta”, só come mato ou que aprecia masoquismo alimentar está completamente enganado. Bolos e tortas crudívoros são deliciosos! Eu fiz tortinhas de morango crudívoras com creme de castanha de caju e levei metade do tempo que levaria se as fizesse cozidas. Além disso, as receitas possuem menor índice glicêmico, pois apostam nas massas de castanha, ao invés de usar farinhas brancas, muitas vezes nocivas pelo excesso de glúten. Bolos de cenoura crus são deliciosos e até experimentei uma lasanha de abobrinha com “queijo” de castanha de caju, pesto e molho de tomate, levemente “cruzinhada”, para os dias mais frios.

A piramide nutricional do crudívoro contém
proteína, lipídeos, vitaminas e minerais suficientes
para manter sua saúde.
Fonte: BodybyFadi
Abaixo, sugiro algumas receitas que aprendi fazendo. Todas são saborosas e saudáveis e podem ajudar os vegetarianos que desejem passar para o veganismo no processo de transição, ou ajudar aos veganos a evitar os “fast foods” prejudiciais em lançamento. Por fim, o crudivorismo pode auxiliar qualquer pessoa que deseje perder peso ou ter uma vida mais saudável. Por fim, não se esqueça de que menos fogo quer dizer menos energia despendida, o que é ainda mais uma vantagem no mundo crudívoro.

Paz!

Fonte: FragrantVanillaCake
Tortinha de morango crudívora (rende duas tortinhas)

Ingredientes
Massa
2 copos de amêndoas (ou 2 copos do resto de amêndoa obtido do leite vegetal) ou 2 copos de qualquer outra castanha
6 tâmaras sem caroço (ponha mais ou menos e vá provando até acertar a doçura)
1 colher de chá de essência de baunilha (preferível que seja a natural)
1 colher de chá de canela em pó sem açúcar (ou mais, se desejar)

Modo de fazer
Bata tudo no processador até obter uma massa homogênea e grudenta. Forme bolinhos e monte tortinhas.

Dica: você pode deixar a massa descansar no freezer por algumas horas, o que fará com que ela fique ainda mais dura.

Creme
1 copo de castanha de caju (deixadas de molho por meia hora em água)
½  colher de sopa de suco de limão
1 colher de sopa de óleo de coco (derreta-o antes)
3 colheres de sopa de xarope de agave
Água, se necessária

Modo de fazer
Bata tudo no processador até obter um creme homogêneo. Coloque sobre as tortinhas.

Recheio
6 morangos picados
2 colheres de sopa de xarope de agave
1 colher de chá de canela em pó

Modo de fazer
Pique os morangos e misture-os com o agave e a canela. Coloque por cima do creme. Leve na geladeira. O óleo de coco vai endurecer e o creme ficará ainda mais homogêneo.


Fonte: HealthyAperture
Bolo de cenoura crudívoro

Bolo
2 cenouras grandes
1 copo e meio de aveia integral
1 copo de tâmaras (menos ou mais, dependendo do seu gosto)
1 copo de abacaxi desidratado (e não achar, desidrate seu abacaxi no forno, na menor temperatura possível, controlando a temperatura com as mãos ou em forno solar)
½ copo de coco ralado natural
½ colher de sopa de canela

Modo de fazer
Bata todos os ingredientes no processador até formar uma massa homogênea. Coloque em uma forma desmontável ou monte uma massa em forma de bolo com as mãos.

Cobertura
2 copos de castanha de caju (deixadas de molho por meia hora em água)
1-2 colheres de sopa de suco de limão
2 colheres de sopa de óleo de coco (derreta-o antes)
1/3 xícara de xarope de agave
Água, se necessária

Modo de fazer
Bata tudo no processador no máximo até virar um creme. Coloque o creme sobre o bolo e leve ao congelador até que a cobertura fique dura. Na receita original, o bolo foi deixado por uma noite no congelador e depois retirado para esquentar naturalmente um pouco. A mesma cobertura pode ser usada como recheio.

Fonte: LetNaturalHealYou
Macarrão de abobrinha crua com molho de tomate

Ingredientes do macarrão
2 abobrinhas

Modo de fazer
Fatie a abobrinha em filetes, com a ajuda de um descascador estilo “Julienne”. Este descascador é especial, pois forma filetes em formato de espaghetti com os legumes. Uma versão diferente do macarrão pode ser feita com abóbora.

Ingredientes do molho de tomate
½ dente de alho
2 tomates picados
2 tomates secos
1 punhado de manjericão
1 colher de chá de orégano
Sal a gosto
Pimenta a gosto
1 colher de sopa de azeite extra virgem

Modo de fazer
Bata tudo no processador. Sirva frio sobre o macarrão de abobrinha ou “cruzinhado”, se preferir quente.


Para mais receitas e informações sobre a dieta da “luz do Sol”, recomendo o blog “Panelas de Capim”, uma maravilha do mundo dos blogs!


Gostou? Compartilhe e faça a mudança acontecer!

Ajude o blog a crescer e seja um seguidor!

Projeto "HISTÓRIA AO CONTRÁRIO", em breve mais notícias

Siga nosso novo canal! 
Dicas de filmes, documentários e muito ativismo com legendas exclusivas!

Post A Comment
  • Blogger Comment using Blogger
  • Facebook Comment using Facebook
  • Disqus Comment using Disqus

3 comentários :

  1. Oi, Camila!!
    Acabei de descobrir seu blog e estou muito feliz com o que estou encontrando por aqui <3
    Muito obrigada! :D Então, li recentemente a história de que o aquecimento no microondas pode não ser melhor opção... Entendo que há muitas dúvidas ainda, mas, por um princípio particular meu, acredito que quanto mais "natural" ou "bruto" o material for, mais apropriado será para nosso uso (e isso se aplica não só à alimentação). Por isso, estou à procura de alternativas de almoço para levar à universidade, que não precisem ser esquentadas no microondas, que é a única opção de aquecimento na uni. Daí, esse almoço precisa passar um tempo fora da geladeira sem causar prejuízos para minha saúde quando eu comê-lo, hehe. Aqui no seu blog, li que uma alimentação crudívora é adequada nesse aspecto. Então, minha dúvida é: se eu preparar uma refeição crudívora, por exemplo as receitas desse post, eu posso levá-las para o almoço sem prejuízo por estarem fora da geladeira?
    Grata :)
    Manu

    ResponderExcluir
  2. Olá! o que seria "cruzinhado"..desculpe mas estou iniciando neste universo da alimentação crua..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Selma! Sem problemas! Todas as dúvidas são bem-vindas! Bem, este seria um trocadilho do termo cozinhado para cruzinhado, ou seja, um alimento que é trabalhado na cozinha, mas continua cru. A técnica consiste em amassar os alimentos com as mãos e deixá-lo amornar até uma temperatura em que não nos queimaria (mais ou menos 50 graus). Espero ter ajudado. Paz!

      Excluir

Ajude a Enriquecer o nosso Blog, Contribuindo com sua Opinião!


[REFLEXÕES][grids]