[ECOTUTORIAIS][bleft]

As Crianças Que Resolveram Mudar o Mundo


São muitas as crianças que estão se unindo e mudando o mundo.
Sem esperar a maturidade, já mostram sabedoria e servem de inspiração
para muitos adultos. Fonte: Anovaera
Existem muitas pessoas que nos inspiram em nossos caminhos e que nos dão forças, de uma maneira ou outra, através de seus exemplos. Para mim, um exemplo que me fez mudar e muito o caminho que estava tomando foi Mahatma Gandhi, após ler a sua biografia completa. Outros exemplos que me seguiram e seguem pela vida são Paramahansa Iogananda e Waris Dirie, um por sua vida espiritual e a outra pela sua força de vontade e superação admiráveis. Existem muitas pessoas que vêm ao mundo com a missão de ajudar a humanidade a progredir, porém existem aquelas que sabem tão certamente o que devem fazer que já pequenas começam a lutar por causas sociais, ambientais ou animais, sem que precisem esperar para se tornarem adultos. Quão admiráveis são estas crianças que não só nos emocionam pela sua convicção, como nos mostram que tudo é possível quando queremos ir além de nós mesmos?

Os exemplos infantis nos fazem refletir sobre nós mesmos.
 Fonte: MacNacional
Além de grandes ativistas, estas crianças salvam e salvaram milhares de vidas e mais do que diretamente, ajudam a inspirar pessoas pelo mundo afora a começarem a mudar-se a elas mesmas, a começarem a seguir seus verdadeiros sonhos e a ajudar, como podem, a humanidade e ao planeta, que tanto precisam deles.
Hoje resolvi falar de algumas destas crianças. Sinto que às vezes, é preciso mostrar o lado bom da humanidade. É tão comum vermos a miséria humana estampada nas capas de jornais! É tão comum vermos a malícia, a corrupção e a crueldade humana espalhada das mais variadas formas possíveis! Apesar disso, existe outro lado que acho muito importante de ser sublinhado: o lado da humanidade que tenta ajudar e a acabar com a opressão e a tirania que o ser humano faz com sua própria espécie ou com outras espécies! Desde pequenas estas crianças viram de não poderiam esperar para agir. Umas nasceram na opulência e, com ela, resolveram utilizar seus recursos para ajudar. Outras sofreram pela violência de sua comunidade e com o exemplo gravado em sua pouca história de vida, resolveram mudar a situação para outras crianças. Outras, por fim, ainda nem começaram, mas já incentivam milhões pelo mundo, apenas pelas suas breves palavras de sabedoria.

Hannah luta para conscientizar as crianças a comerem alimentos saudáveis
 e mais vegetais. Fonte: The voice of Russia
Hannah Robertson
Hannah Robertson é uma norte-americana de apenas 9 anos que apareceu na mídia após ter confrontado ao vivo o CEO da rede de fast food McDonald’s. Durante um encontro de acionistas da rede, Hannah, tomou a palavra, durante o discurso do CEO Don Thompson e o questionou sobre a política publicitária da rede de lanchonetes, voltada para crianças. Com estas palavras, Hannah deixou os empresários não só boquiabertos, como bastante constrangidos pela política publicitária, para lá de manipuladora:
“Sr. Thompson, você não acha que crianças devem ser saudáveis para que possam viver uma vida longa e saudável? Eu não acho que é justo quando grandes companhias tentam enganar as crianças a comer comida. Não é justo que tantas crianças da minha idade estejam ficando doentes.”
O CEO, constrangido, apenas conseguiu responder com mais publicidade enganosa, dizendo:
“Nós não vendemos junk food. Meus filhos comem McDonald’s”.
A verdade é que, apesar da resposta de Thompson, a coragem de Hannah fez com que ela e o trabalho encabeçado pela associação pela qual sua mãe faz parte, a “Corporate Accountability International”, fosse bem divulgado. O grupo de advogados de direitos humanos luta para impedir a publicidade de corromper o público infantil, através das já conhecidas táticas de venda de alimentos com brinquedos ou vinculados a personagens de desenhos animados.

Ryan ajudou milhares de crianças africanas
a conseguirem água potável.
Fonte: Espaço Recriar
Ryan Hreljac
Com apenas sete anos de idade, Ryan Hreljac descobriu sobre a situação de sede e doenças dos países africanos durante uma aula em sua escola de ensino elementar. Sua professora lhe contou sobre como milhões de pessoas estavam morrendo de sede e de doenças devido às condições insalubres da água de seus povoados. Ryan percebeu que para ele custava apenas andar um pouco para conseguir água tratada da torneira, enquanto que outros precisavam andar quilômetros para conseguir, às vezes, apenas água suja. Conversando com seus pais, ele percebeu que deveria trabalhar para conseguir o dinheiro para construir um poço em uma escola primária de Uganda. Fazendo tarefas domésticas, ganhou seus primeiros $70 e depois, ao perceber que um poço custaria $2.000 decidiu discursar em clubes e escolas para angariar dinheiro, fundando a associação “Ryan’s Well Foundation”. Hoje Ryan tem 22 anos e sua associação já construiu poços de água em centenas de escolas e vilarejos na África. Ele é atualmente um universitário e atua como relações públicas para sua associação. Ryan já viajou várias vezes para Uganda e, junto com iniciativas africanas, salvou da sede e de doenças milhares de pessoas.


O discurso de Severn, na Rio-92 gerou medidas ambientais
e sociais voltadas para as crianças. Fonte: CidadaniaEcologica9
Severn Cullis-Suzuki
Severn era uma garotinha de apenas doze anos que impressionou ao discursar na Rio-92. Seu discurso, conhecido como “The girl Who silenced the world for Five minutes” (a garota que silenciou o mundo por cinco minutos) pode ser encontrado na internet e expõe sobre os problemas ambientais do ponto de vista infantil. Um ano mais tarde, com apenas 13 anos, Severn publicou um livro entitulado “Tell the world”, um manual ambiental para famílias. Hoje Severn é professora universitária e já participou ativamente de várias associações ambientais, uma delas encabeçada por ela, o “Skyfish Project”. Até hoje, seu discurso é um exemplo de coragem e determinação e é comumente reavivado pelo documentário “Severn, the voice of our children” (Severn, a voz de nossas crianças), que conta a história de Severn, mas também a situação de precariedade em que vivem as crianças através do globo.

Os dois irmãos lutam desde pequenos
pela paz mindial. Fonte: Worldpeacebefore2021
Axill e Érika Kollist
Áxil é um garotinho de 13 anos  Érika uma menina de 15 anos que há algum tempo estão atuando pela paz mundial. Eles iniciaram sua história aos seis e oito anos de idade, quando começaram a angariar fundos para doar para os países africanos em estado de precariedade. Junto com sua mãe, eles fundaram a associação “World Peace before 2021”. Sua associação vende botons, camisetas e outros artigos pela paz e usa o dinheiro para enviar recursos para países pobres. Além disso, sua meta é espalhar o desejo pela paz mundial e não-violência pelo mundo através de sua ação.






Malala é uma das principais vozes paquistanesas contra a proibição da
educação feminina. Na foto: "Eu não me importo de sentar no
chão da escola. Tudo que eu quero é educação. E eu temo que não
 tenha nenhuma." Fonte: SanityKeeper
Malala Yousafsai
Malala é uma menina que aos treze anos passou a lutar contra o regime Talibã no Paquistão. Foi através de seu blog que Malala se tornou conhecida ao mostrar a transição para o regime Talibã que seu país vinha sofrendo. Uma das medidas do regime foi a abolição e proibição da educação de meninas entre o período de 2003 a 2009. Em 2012 Malala foi atacada por um miliciano tendo recebido um tiro na cabeça. Apesar de novos ataques, ela sobreviveu, bem como suas duas colegas que foram atacadas em um ônibus escolar. Atualmente, ela se recupera do ataque, tendo tido grande importância pela sua ajuda e voz a favor dos direitos civis de seu povo.

Micaela luta pelos direitos das crianças com necessidades especiais.
Fonte: rnw
Micaela Mycroft
Micaela sofreu uma paralisia cerebral que a confinou para sempre a uma cadeira de rodas. Com apenas nove anos de idade, ela, sua irmã e três amigas angariaram dinheiro para comprar uma cadeira elétrica, o que as fez perceber que poderiam fazer mais pelo mundo das pessoas com necessidades especiais. Chaeli, como é chamada, fundou, junto com suas amigas, a Chaeli Campaign, que desde 2004 já ajudou 3.000 crianças a receber cadeiras de roda, aparelhos auditivos, alimentos e outros na África do Sul. Atualmente ela está com 17 anos e recebeu, em 2011, o “International Children’s Peace Prize”.

O discurso de Luiz Antônio fez com que muitos repensassem suas
escolhas de alimentação. Fonte: GlobalVoice
Luíz Antônio
Luiz Antônio é o mais novo ativista pelos direitos dos animais. Apesar de não saber disso, seu discurso em um vídeo do Youtube deve ter promovido o veganismo e ajudado aos animais, mais do que muitos livros e discursos. É possível que no futuro, este menino, mais velho, perceba o tamanho da conseqüência de seu discurso inocente, dando uma lição nas pessoas, ao mostrar sua compaixão pelos animais, negando, com isso, o prato com polvo que a mãe lhe oferece. Claramente que a mãe deve ser uma pessoa de mente aberta para deixar o filho tornar-se vegetariano, pois infelizmente muitos acreditam erroneamente que ser vegetariano é impossível para uma criança, quando na verdade, é o consumo de carne que mais prejudica a saúde.

Amélie, desde pequena se preocupa em conscientizar
a população dos problemas relacionados aos animais.
Fonte: Vista-se
Amélie de Oliveira
Amélie é filha de Karina Oliveira, militante pelos direitos dos animais e vegana. A pequena, desde que ficou sabendo das condições em que os animais são criados, decidiu que queria agir e fazer algo. Com a ajuda de sua mãe, Amélie faz desenhos e cartazes para conscientizar as pessoas dos atos de crueldade. Ela ficou conhecida durante a passeata pelo veganismo e direitos dos animais. Vamos esperar que no futuro, Amélie, possa conscientizar ainda mais pessoas.



A coragem de Nujood fez com que
muitas outras meninas se salvassem
do casamento forçado.
Fonte: NYTimes
Nujood Ali
Aos dez anos Nujood foi forçada a se casar com um homem de trinta anos. Regularmente espancada pelos familiares e estuprada por seu “marido” fugiu dois meses depois do casamento, indo para o tribunal de justiça pedir o divórcio (conselho que recebeu da segunda esposa de seu pai). Depois de esperar por doze horas no tribunal, um juiz notou sua presença, dando-lhe refúgio e condenando tanto seu pai, como o marido pelo crime. Shada Nasser, importante militante dos direitos da mulher no Iêmen, defendeu a garota. Infelizmente, na lei iemenita, meninas podem se casar em qualquer idade, mas o estupro é proibido e foi aí que Nujood conseguiu ganhar causa. Ela escreveu um livro sobre sua história e voltou para a escola. Mesmo com a represália de seu governo, que confiscou seu passaporte e a impediu de sair do páis, Nujood ajudou milhares de meninas a se libertarem do casamento forçado. Suas ações também foram importantes para alertar ao mundo para a venda de garotas, muito comum nesses países, em que o pai recebe uma quantia para casar a filha com um homem.

Existem muitas outras crianças, que com grandes ou pequenas ações, ou simples palavras de sabedoria, fazem com que nós adultos, revisemos nossas ações. O tempo corrói nossa compaixão e a sabedoria que muitas vezes temos na infância. Somos levados a crer que não há mais jeito ou que é melhor fazer o que é mais fácil ou seguir a maioria. É aí então que surgem estas crianças para nos dar um choque, que nos ajuda a voltar e rever o passado e mudar o presente. Vamos repensar nossas vidas então, para juntos, podermos mudar com elas, o mundo para um lugar melhor!

Paz!

Se você conhece mais crianças ativistas, mande para o blog!

Ajude o blog a crescer e seja um seguidor!
Projeto "HISTÓRIA AO CONTRÁRIO", clique aqui para saber mais!

Post A Comment
  • Blogger Comment using Blogger
  • Facebook Comment using Facebook
  • Disqus Comment using Disqus

7 comentários :

  1. Isso nos impulsiona a querer ser uma pessoa melhor, e ter consciência de que se cada um fizer um pouco pelo próximo, ele se torna muito!

    Linda a matéria!

    ResponderExcluir
  2. Obrigada Ellen! Seus comentários são sempre bem-vindos! Abs,

    ResponderExcluir
  3. Eu sempre tive esperança que haveria de nascer quem mudasse nosso comportamento para melhor graças a Deus!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  4. Qual o nome da biografia de Gandhi que você leu? Me interessei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Mariane! O nome é: "Gandhi: o despertar dos humilhados". Eu fiz a revisão da tradução deste livro e é muito bom mesmo. Foi a partir de sua leitura que comecei a estudar sobre não-violência. Gratidão pelo comentário e paz!

      Excluir
  5. Marcia dos Reis12/10/2017 14:44

    Parabéns,Camila,pelos belos textos!

    ResponderExcluir

Ajude a Enriquecer o nosso Blog, Contribuindo com sua Opinião!


[REFLEXÕES][grids]