[ECOTUTORIAIS][bleft]

Como fazer sua própria Pasta de Dentes (Vegan)

    Por: Camila Gomes Victorino

Há um tempo atrás percebi que a maioria das fórmulas de pasta de dentes eram testadas em animais e possuíam substâncias de origem animal. Como sou vegetariana, resolvi procurar pastas alternativas e no meio de tanta dificuldade me deparei com a incrível química das pastas de dentes.
Desde pequeno usamos pasta e até chegamos a comê-la, mas perigos reais para nossa saúde e o meio-ambiente escondem-seneste produto. 
A pasta de dente possui várias substâncias com origens não nobres. A primeira delas é a glicerina. A glicerina é um sub-produto das fábricas de sabão, as quais utilizam sebo bovino e de outros animais mortos para desenvolvê-lo. Ela serve como umectante, fazendo com que a pasta não resseque dentro do tubo. Outra substância controversa é o lauril sulfato de sódio, substância utilizada em xampus e condicionadores, já tratada no blog (ver “Os índios não usam xampu – constatações sobre a necessidade inexistente”). O lauril é uma substância bastante polêmica e atualmente muitas pesquisas apontam que é mito o seu poder cancerígeno, entretanto, algumas pesquisas afirmam que o lauril carrega junto com ele dioxinas, quando de sua produção, e estas sim são comprovadamente cancerígenas. Além do lauril há ainda o fluoreto de sódio, que é aquilo que conhecemos como flúor. O flúor tem sido comumente indicado como substância anti-cáries por ser bactericida, mas há controvérsias sobre a sua toxicidade.
Em um interessante artigo da revista britânica “The Ecologist”, uma revista de esquerda comumente associada a críticas às políticas ambientais globais, mostra que a toxicidade do fluoreto está tão próxima daquela do arsênio e do chumbo. Segundo ele, somente metade do flúor que ingerimos na água e nas pastas de dente é excretada pelo organismo, sendo que o restante acumula-se no sistema. Uma parte deste flúor estoca-se nos ossos e parte vai para a glândula pineal.
O flúor adicionado na pasta e na água está envolto em enormes controvérsias
É interessante notar que o contra-argumento desta toxicidade poderia ser dado pelo fato do flúor prevenir cáries, porém, de acordo com a Organização Mundial de Saúde, a saúde dental dos habitantes de países que não costumam adicionar flúor em seus sistemas de água, aumentou de maneira igual às dos países com água fluoretada.
Poderia escrever um artigo somente sobre o flúor e como ele começou a ser usado em pastas de dente e água após surgir a necessidade de realocar o fluoreto, sub-produto da indústria de alumínio, mas vou parar por aqui.
No geral, e voltando ao assunto, as pastas de dentes contêm uma série de substâncias danosas ao organismo, ou que vivem da indústria animal, e além de tudo isso, a maioria delas ainda é testada em animais de laboratório, o que convenhamos, não faz o menor sentido.
Agora, se você se vê colocado em um dilema na hora de ir escovar os dentes e percebe que é muito difícil conciliar o seu desejo de parar de se envenenar com o fato de que você quer um hálito fresco, não se desespere! Existe uma série de alternativas atuais que substituem as pastas, sem deixar seus dentes sujos.
Escovar sem pasta é uma solução, mas que está envolta em tabus.
Primeiramente falarei daquela que deixará muitos com nojo: escovar apenas com a escova. De fato, o que limpa os dentes é a escova. A função da pasta é somente proporcionar um hálito fresco e ajudar na eliminação do excesso de bactérias dos dentes. O mau hálito não vem da falta de escovação como muitos pensam, mas de má alimentação, má mastigação e problemas digestivos. Claro que se você mantiver comida em seus dentes, ela vai apodrecer, mas uma escovação só com escova e fio dental resolve o problema.

Mas e se você ainda quer manter um gostinho agradável de hortelã, cravo e outros, em seus dentes? Neste caso, a escovação pode ser complementada pelo uso de pós dentais, que podem ser comprados ou feitos em casa. Eu uso um pó dental que eu mesma faço. Ele é à base de pó de cravo e depois que escovo os dentes, parece que usei pasta. Entretanto, não usei flúor, nem lauril, nem glicerina e muito menos joguei fora embalagens. O pó dental, assim, é uma alternativa ecológica, porque não gera embalagens; não-consumista, porque te livra da dependência de grandes multinacionais dentifrícias; sem crueldade, porque não financia experimentos em animais, nem usa suas substâncias e não-poluente.
O pó dental é um ótimo substituto das pastas de dentes, atuando como bactericida e refrescante.
Sim, saibam que as pastas também ajudam a poluir as águas, pois suas substâncias afetam a sobrevivência da biodiversidade dos rios, mares e lagos.
Mas como achar pó dental? Abaixo sugiro algumas receitas de pó dental, muito fáceis de fazer e achar. Sugiro que quando for escovar os dentes com eles, use escovas macias e não force a escova nos dentes, pois as substâncias podem arranhar o esmalte. Mas não se preocupe com isso: a pasta de dentes também contém substâncias abrasivas e elas ajudam a tirar o tártaro. Somente deve-se tomar o cuidado, tanto com um, como com a outra, para evitar esfregar com muita força.

Pó dental de juá com cravo (receita retirada de Bemtefiz)

O Juá é adstringente e antiinflamatório.

Ingredientes:

50g de pó de juá

20g de cravo da índia


Como fazer
Misture tudo e acrescente água. Guarde.
Você pode também molhar a escova e colocá-la no recipiente com pó. O pó que fica na escova é suficiente para uma escovação. Além disso, o pó seco dura mais.

Pó dental branco (Receita retirada de Papacapimveg)

A hortelã é refrescante e combate problemas digestivos.
Ingredientes:
2 colheres de sopa de argila branca super fina
2 colheres de sopa de bicarbonato de sódio
10 gotas de óleo essencial de hortelã-pimenta (100% puro e natural)

Como fazer
Misture os ingredientes sólidos e reserve em um pote pequeno de vidro com tampa. Adicione as 10 gotas de óleo essencial e tampe. Deixe tampado por um dia. Quanto mais velho for o pó, mais gosto e cheiro de hortelã ele terá.

Outras receitas

Cravo, canela ou anis podem ser utilizados no pó dental.


Você pode misturar cravo com óleo essencial de hortelã ou canela e testar qual ficou melhor, a seu gosto. O bicarbonato pode ou não ser adicionado, o mesmo com a argila. Todos estes ingredientes são naturais e não são tóxicos para os seres vivos. O pó de juá é bastante usado no interior como substituto da pasta e até cria uma espuminha. O cravo é desinfetante e mantém o hálito fresco e pode combater facilmente o excesso de bactérias da boca. O bicarbonato ajuda a controlar o Ph da boca. O óleo de hortelã é refrescante e mantém o hálito fresco. Além disso, a hortelã vem sendo associada ao combate de problemas digestivos, o que poderia combater o mau hálito.

Dica: guarde seu pó dental em embalagens de vidro. Eu uso embalagens de amostras de geleia, as quais são pequenas e podem ser carregadas para qualquer lugar.


Paz!

Gostou desta postagem? Ajude a divulgar o blog e seja um seguidor!






Post A Comment
  • Blogger Comment using Blogger
  • Facebook Comment using Facebook
  • Disqus Comment using Disqus

21 comentários :


[REFLEXÕES][grids]