[ECOTUTORIAIS][bleft]

A Obsolência Programada e a Farsa dos Direitos do Consumidor

Por: Camila Gomes Victorino

Lâmpadas não precisariam queimar
com tanta facilidade, mas são
fabricadas para quebrar.
Fonte: Dicas Em Eletricidade
É muito comum que algumas situações já tenham acontecido com você: comprar uma roupa e notar que ela já estava rasgada; comprar um produto e notar que ele quebrou em uma semana ou soltou uma peça; notar que a bateria de seu novo celular dura pouco e se torna viciada logo um pouco depois de acabar o prazo de garantia. Todas estas situações e muitas outras são cada vez mais comuns em nosso dia a dia e o pior é que mesmo que compremos de marcas mais caras, isso ainda acontece, pois de fato, não é coincidência, é estratégia de venda.
Antigamente uma geladeira durava mais de vinte e cinco anos. Atualmente, muitas quebram em cinco a sete anos. Máquinas de lavar duravam décadas, mas em cinco anos já temos que reparar ou comprar outra. O mais interessante é que o reparo em si torna-se cada vez mais obsoleto e mais e mais pessoas são incentivadas – pelo preço, geralmente – a comprar um aparato novo, mas por que tudo isso ocorre? Será que não temos conhecimento tecnológico para produzir melhores produtos ou será que as empresas oferecem soluções menos viáveis para forçar o consumidor a comprar mais e mais?
No documentário “A obsolência programada” explica-se como as empresas passaram a desenvolver produtos com qualidade cada vez mais duvidosa, de modo a manter o fluxo de lucros constante. Mais alarmante: o documentário mostra como algumas invenções, como uma lâmpada que dura 25 anos, ou até automóveis, foram escondidos por grandes companhias para impedir que o consumidor deixasse de consumir seus produtos.

A obsolência programada gera tanto lixo que Europa e EUA precisam
exportar (ilegalmente) seu lixo para países de Terceiro Mundo.
Fonte: UPF
Atualmente a obsolência programada é prática comum da maioria das empresas e é naturalmente ensinada em escolas de engenharia e design, com o objetivo de educar os novos inventores para a produção de produtos de baixa qualidade. Há quem diga que isso é importante para movimentar a economia e gerar trabalho, mas este argumento esconde o fato de que o trabalho gerado é um trabalho inútil e que gera produtos inúteis, ou seja, o dinheiro recebido por esta mão de obra servirá para comprar produtos não necessários, em sua maioria, os quais não precisariam ser comprados se sua qualidade não fosse duvidosa.
Mais: muitos dos produtos produzidos atualmente, principalmente em informática, possuem chips que impedem a máquina de funcionar após um determinado ciclo de tempo, ou seja, a manipulação chega a um extremo da própria companhia impedir o consumidor de usar um produto que deveria continuar funcionando.

A obsolência programada produz lixo e aliena o consumidor.
Fonte:LaconUERJ
Acredito que assistir este documentário nos abre os olhos para a grande manipulação que sofremos nesta sociedade. Nós acreditamos que precisamos trabalhar para comprar bens necessários e vendemos nossa mão de obra para tal, sem nos dar conta que as necessidades foram produzidas.
O documentário está na íntegra no Youtube e vale a pena ver, pelo seu conteúdo teórico e histórico, mas também pelo exemplo da impressora que é literalmente programada para parar de funcionar. Por fim, vale a pena abrir os olhos para a destruição ambiental que esta lógica social está causando.

Quer saber como se libertar da lógica do consumo? Conheça nossa sessão “AUTO-SUFICIÊNCIA” e comece já a se livrar das inutilidades que a sociedade nos impõe.


Veja trailer do documentário abaixo






 Pensando ao contrário
Post A Comment
  • Blogger Comment using Blogger
  • Facebook Comment using Facebook
  • Disqus Comment using Disqus

Nenhum comentário :

Ajude a Enriquecer o nosso Blog, Contribuindo com sua Opinião!


[REFLEXÕES][grids]