[ECOTUTORIAIS][bleft]

5 Fatos Que Desafiarão Seu Senso Comum



Nada como uma discussão e fatos científicos para acabar
com o senso comum e preconceito. Fonte: Nicolas-Pelicioni
Às vezes, é preciso uma boa dose de dados científicos ou alguém te forçar a se colocar no lugar do outro para fazer a gente refletir e mudar nossas concepções extremamente preconceituosas. Não é sempre que fazemos por mal, afinal não podemos ler tudo sobre tudo. Mas, a lição que fica, ao percebermos que estávamos enganados, não é só com relação a um único dado, mas a incerteza que permanece de sermos o centro do universo e acharmos que pensamos melhor do que os outros. A reflexão que fica é aquela de que não podemos saber tudo e porque não sabemos tudo, jamais devemos julgar aos outros, um dos principais sentimentos usados para justificar a violência.
Veja abaixo cinco informações que te farão mudar de opinião sobre um fato ou apenas perceber que há mais coisas entre o céu e a terra do que crê nosso vão senso comum!

Será mesmo que eles bebem tanto e se drogam?
Fonte: WebArcondicionado
5 – A maioria  dos moradores de rua usa drogas e/ou bebidas alcoólicas
Uma pesquisa realizada pelo Núcleo de Direitos Humanos da Defensoria Pública do Rio de Janeiro mostrou que 65% dos moradores de rua não bebem e que 62% deles não usam qualquer tipo de droga. Mais alarmante: apenas 13% destes moradores são analfabetos. Este é um resultado que abala em cheio nosso senso comum a respeito dos moradores de rua e nos faz repensar nossa visão de mundo, principalmente no que se refere ao “vagabundo”ou “bebum” de esquina, pessoa tão maltratada pelas pessoas.

Mais informações podem ser encontradas no Jornal Brasil de Fato. Clique aqui

Será mesmo que veganos são desnutridos e não comem
quase nada?
Fonte: Vegan por uma vida melhor
4 – Vegetarianos estritos e veganos tendem a desnutrição
Se você é vegetariano ou vegano, você não deve se surpreender ao constatar que veganos vivem melhor e apresentam menos risco de doenças, entretanto, para a maioria das pessoas e, inclusive médicos e nutricionistas não especializados, a falta de carnes, leite, ovos, mel e outros derivados animais aumenta e muito a chance de desnutrição e diminui um tanto a quantidade de proteínas em veganos. Porém, um estudo realizado em 1988 (sim, é antigo e ainda assim vivemos no preconceito) e publicado na revista "American Journal of Clinical Nutrition" mostrou que veganos apresentam até mais aminoácidos essências do que deveriam (os tijolos das proteínas) no sangue do que onívoros, além de apresentarem igual quantidade de cálcio e melhor quantidade de zinco e cobre. Por fim, uma revisão de 2002, que reviu diversos estudos sobre veganismo, mostrou eu veganos têm menor risco de câncer do colo intestinal, menor risco de infarto e doenças cardiovasculares e diabetes. Ademais, o cálcio, zinco, ferro e vitamina B12 que tantos falam faltar é apenas deficiente em pessoas veganas que não atentam para a suplementação destes elementos, com alimentos específicos ou suplementos, ou no caso da vitamina D, de banhos de sol.

Para saber mais:


Abdulla et al. Nutrient intake and health status of vegans. Chemical analyses of diets using the duplicate portion sampling technique. The American Journal of Clinical Nutrition, n.3(11), 2464-77, 1988. Disponível em: < http://ajcn.nutrition.org/content/34/11/2464.short >. Acesso em: 11/11/2013;
-  Craing, W. Health effects of vegan diets. The American Journal of Clinical Nutrition, n.89(5), 16275-335, 2009. Disponível em: < http://ajcn.nutrition.org/content/89/5/1627S.full.pdf+html >. Acesso em: 11/11/2013;


Os tempos mudaram e foi a educação a responsável.
Fonte: BigStock
3 – Mulheres de países pobres têm mais filhos do que mulheres de países ricos
Isto é um daqueles sensos comuns que faz com que pessoas, aparentemente preocupadas com o futuro do planeta, culpem as populações pobres pela crise ambiental que só tenderá a piorar, pelo tal excesso de gente. Afinal eles teriam muitos filhos. Na realidade, atualmente o número de filhos por mulher nos países pobres da Ásia é de apenas duas crianças na média e este número só é maior em países com governos instáveis, como alguns países africanos. Segundo o médico e estatístico Hans Rosling, que vem estudando a dinâmica de população humana no mundo, não só o número de filhos por casal diminuiu drasticamente, inclusive em países pobres, como a maior responsabilidade pelo aquecimento global, não vem de nações de Terceiro Mundo, mas dos poucos ricos que consomem altas doses de energia provinda do petróleo. Por fim, o pesquisador ainda deixa claro que mulheres que tiveram acesso a mais anos de educação têm geralmente menos filhos do que mulheres com menos anos de estudo.
Abaixo segue o vídeo da palestra do professor em inglês. O vídeo está legendado em inglês.

Veja o vídeo neste link: BBC



Nem tudo que reluz é ouro. Fonte: msn
2 – Pessoas ricas tendem a ser mais gentis e a respeitar mais as leis do que pessoas pobres
Este é um senso comum que aparece quando vemos pessoas pobres jogar lixo no chão, jogar móveis no córrego, assaltar estabelecimentos e outros. Para os mais direitistas, isso é sinal de incapacidade, para os mais esquerdistas, falta de educação formal, entretanto ainda existe a visão de que pessoas ricas, por terem tido acesso a mais anos de educação formal, tendem a ser mais educados e a respeitar mais as leis.
Uma pesquisa feita pelo pesquisador Dacher Keltner e colegas, da Universidade de Berkeley mostrou que pessoas dirigindo carros luxuosos tendem a descumprir mais as regras de trânsito do que aquelas em carros comuns. Mais: a pesquisa mostrou que pessoas que se sentem em uma situação de poder monetário tendem a ser mais mal-educadas, ríspidas e abusivas do que pessoas em situação de fragilidade, as últimas tendendo a fazer mais caridade. De fato, o importante da pesquisa não é tachar pessoas ricas de más e pobres de bons moços, mas apenas mostrar como a personalidade das pessoas muda quando elas sentem ter mais poder sobre as outras.

Para saber mais deixo uma reportagem sobre o estudo abaixo (em inglês somente).




Meritocracia: doce ilusão! Fonte: Jornal GGN
1 – Pessoas mal-sucedidas são menos esforçadas ou "com esforço podemos chegar aonde quisermos"  (a lei da meritocracia)
De fato, nem todo mundo ainda acredita neste conto de fadas, mas a velha história de vida de Silvio Santos é um exemplo comum entre as pessoas. Claro que mesmo sabendo que é possível sim sair da miséria para a riqueza, em casos excepcionalmente excepcionais, um estudo realizado pela Bloomberg Markets Magazine mostra que não é tão bem assim! Segundo a revista, metade de todo o dinheiro do mundo (estou falando da metade!) está concentrado nas mãos de apenas DUAS grandes famílias, que se dividiram nos nomes Koch, Walton e Adelson. Para se ter uma ideia, a família Walton é dona da rede Walmart e tem financiado campanhas republicanas nos EUA, enquanto a família Koch está envolvida em uma campanha de mais de 60 milhões de dólares para "destronar" Barack Obama. Depois desta pesquisa fica claro que a democracia é apenas uma historinha contada na infância que ainda acreditamos ao crescer. O dinheiro não só está concentrado nas mãos destas poucas famílias, como faz delas articuladoras políticas poderosas, que financiam milhares de campanhas, candidatos e projetos de lei em todo mundo, visando apenas seus interesses. No mais, toda a riqueza ainda continua acumulada nas mãos de poucos, enquanto nós ainda teimamos em acreditar que trabalhando duro chegamos lá, que quem é pobre é vagabundo e que política séria é voto consciente.


Para saber mais: The Hunffington Post

Paz!

Autora: Camila Arvoredo

Gostou? Compartilhe e faça a mudança acontecer!
Ajude o blog a crescer e seja um seguidor!
Projeto "HISTÓRIA AO CONTRÁRIO", clique aqui para saber mais!



Post A Comment
  • Blogger Comment using Blogger
  • Facebook Comment using Facebook
  • Disqus Comment using Disqus

4 comentários :

  1. Da 5 a 2 concordo plenamente, mas na 1 só em parte pois observo, eu vejo de perto por isso sei, que muitas pessoas mal sucedidas realmente são menos esforçadas, não são todas mas a maioria. Vejo por exemplo em periferias pessoas que não se interessam em ter uma vida honesta, outras que não se interessam em trabalhar, outras que se conformam com o pouco e não se interessam em estudar pra ter a oportunidade de um trabalho melhor remunerado, em contrapartida todas essas pessoas demonstram muito interesse em farra, bebedeira, prostituição, levar vantagem em cima dos outros, uso de drogas e até pelo dinheiro fácil da criminalidade. E o que é pior quando tentamos conversar com essas pessoas somos taxados de manés e otários pois eles estão convencidos que tem razão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Maguim! Obrigada pelo seu comentário. Bem, às vezes os exemplos pessoais nos fazem criar uma visão especial de determinados grupos, por isso que tive a intenção de criar o post, pois nem sempre temos consciência de nosso próprio preconceito. Eu sei que você deve ter tido experiências em sua vida que mostram que pessoas pobres são menos esforçadas, mas a realidade não é essa e por isso servem os estudos. De fato, o problema é que não é o esforço que faz a riqueza, mas o nascimento, eis o ponto! Imagino que a maioria das pessoas no mundo nasça sem muita vontade de nada (e os motivos são outra discussão), mas a verdade é que aquelas sem vontade de nada que tiveram a sorte de nascer ricas continuarão ricas e as que nasceram pobres continuarão assim! Esta é a injustiça! Continuamos na ditadura do nascimento que tantos iluministas teimavam em contra-atacar! No fundo, pouco mudou! Por fim, mais importante em seu comentário é enfatizar que não podemos nos basear apenas nos exemplos pessoais. A vida de uma só pessoa não é capaz de dizer o que é certo e errado, pois nossa visão é bastante distorcida pelo ambiente em que vivemos. Assim, é sempre importante ir além e ler estudos que talvez suportem ou não nossa visão pessoal. Lembre-se: um estudo científico tende a ser mais objetivo que uma simples opinião, mesmo que tenha falhas neste processo. Abs,

      Excluir
  2. Belo texto, mas com um pequeno erro de tradução que compromete o fato número 1. O que a matéria do Huffington Post diz é que, da lista das pessoas mais ricas do mundo, metade delas são da mesma família. Não metade da riqueza do mundo.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Caio! Você tem razão! Foi um erro de tradução! Mas, mesmo que a metade de toda a riqueza do mundo não esteja nas mãos de duas famílias, ainda assim metade das pessoas mais ricas do mundo ainda provém destas duas famílias, o que aponta para a inveracidade da meritocracia como tal. A riqueza ainda continua estancada nas mãos de poucos! Uma pena! Gostaria que fosse verdade que a pesquisa tivesse mostrado o oposto, mas infelizmente ainda vivemos em uma enorme desigualdade social, gerada pela origem de nascimento! Valeu! Abs,

      Excluir

Ajude a Enriquecer o nosso Blog, Contribuindo com sua Opinião!


[REFLEXÕES][grids]