[ECOTUTORIAIS][bleft]

A incrível farsa da água fluoretada

Por: Camila Arvoredo
Flúor na água: a alma do negócio.
Fonte: José Renato Moura
Há algumas semanas atrás assisti a um filme discorrendo sobre a farsa do flúor. Já ouviram falar? Pois é, o flúor é algo que passa corriqueiramente por nossas vidas, mas nem pensamos que aquela substância que está presente na água de beber e na pasta de dentes, não faz tão bem quanto nos ensinaram.
De fato, a fluoretação não é unânime, não ocorrendo em quase todos os países europeus e nem no Japão e isso não sem motivo. O flúor, mesmo nas baixas concentrações presentes na água de torneira, pode causar danos na tireóide e no sistema nervoso central, e alguns apontam a substância como causadora de baixos QIs nas crianças. Isto não é teoria da conspiração; isto são dados de estudos científicos, muitos apontando para a total incoerência da adição de flúor na água. Mas por que colocar uma substância tóxica na água potável que alimentará toda a população? Bem, existe ainda o senso comum errôneo de que o flúor faz bem para a saúde bucal e é por isso, aliás, que é adicionado às pastas de dentes. Entretanto, como o fluoreto já existe na natureza e nos alimentos, em baixíssimas concentrações, sua adição a um alimento que é praticamente utilizado por todos, não gera bem, mas mal.


Nós nem sequer suspeitamos que a água que bebemos
está envenenada. Fonte: kililuminatti
Interessantemente, um dos principais dejetos da indústria do alumínio é o fluoreto, resíduo que antigamente era liberado para a atmosfera e que acabou por gerar sérios danos ambientais e doenças em populações próximas às indústrias. Não se sabe exatamente como a reviravolta de "veneno a remédio" se deu, mas acredita-se que tudo não tenha passado de um lobby no começo do século XX, pois o químico Gerald Cox, funcionário do grupo Alcoa (maior produtora de alumínio da época nos EUA) começou a afirmar publicamente e com base em estudos pouco fundamentados que o fluoreto não era veneno, mas sim um benefício para a saúde bucal, quando adicionado em quantidades baixas de 1-2 ppm na água. Surpreendentemente, o secretário do Tesouro da época fazia parte da família de proprietários da Alcoa. A secretaria do tesouro cuidava também de assuntos de saúde pública por volta daquele período. Assim, é fácil ligar os fatos de que a fluoretação não passa de uma armadilha publicitária para facilitar o escoamento de um resíduo de pouco valor, e muito complicado de se gerenciar, na água.

Água é vida. Ela deve ser um direito de todos e não só de
quem consegue comprar água importada.
Fonte: Esquerda.net
Pode parecer teoria conspiratória, mas o que interessa não é o motivo por trás da adição de flúor, mas sim o fato dele estar sendo relacionado a uma série de doenças ligadas ao sistema nervoso central. Aliás, se o flúor prevenisse, de fato, cáries, a saúde bucal européia e dos japoneses estaria de mal a pior, o que não ocorre.
A partir desta leitura, pensa-se logo em comprar água mineral, mas o que descobri recentemente é que na nossa água mineral o flúor também é adicionado. Não há saída nesse caso e posso dizer que as únicas águas não fluoretadas são as importadas, mas até aí, não é possível beber desta água todos os dias, pois são caríssimas. Por fim, uma informação relevante é que nem toda água é fluoretada no Brasil, pois ainda existem muitas regiões pobres que não possuem este tratamento elaborado das grandes cidades.

A farsa do flúor é uma ótima dica para
aqueles que buscam mais
detalhes sobre a fluoretação da
água. Fonte: Antinovaordem
De qualquer jeito, o mais importante, no caso, é lutar por uma água de qualidade e que não contenha compostos venenosos. Existem vários movimentos da sociedade civil que lutam pelo fim da fluoretação das águas no mundo, mas ainda estão engatinhando, já que a maioria das pessoas desconhece que a água que bebem faça tão mal. É preciso informar-se e sempre não tentar cair naquilo que parece ser o mais óbvio. O ar, a água, os alimentos, tudo está poluído e alguns deles são até envenenados conscientemente. Uma nova consciência deve ser estimulada para que possamos limpar estes bens tão essenciais. Deixo ainda alguns links que podem facilitar a vida daqueles que ainda desconfiam. Sugiro a leitura do livro “A farsa do flúor ('The fluoride deception')”, que contém uma investigação jornalística de qualidade sobre o início e os motivos da fluoretação da água nos EUA. Além disso, segue uma matéria da Scientific American Brasil bastante completa, indicando os prós e contras do flúor e um estudo em inglês também contendo uma série de fontes científicas. 
Muito pouco ainda é feito no Brasil para alertar ou pelo menos gerar discussão no país, porém um dia teremos que começar a questionar e colocar esta questão tão importante em pauta. 
Paz!
 Veja aqui mais informações:

Scientific American Brasil - Controvérsias sobre o flúor
Science20 - Fluoride is hazardous to health, studies show


Agora estamos no TWITTER! Siga-nos e receba dicas diárias de ecologia!

Gostou desta postagem? Tem mais! Siga-nos via Facebook, Google +, E-mail ou Blogger! 

Projeto "História ao contrário", clique aqui para saber mais!
Post A Comment
  • Blogger Comment using Blogger
  • Facebook Comment using Facebook
  • Disqus Comment using Disqus

2 comentários :


[REFLEXÕES][grids]