[ECOTUTORIAIS][bleft]

Mulher Peluda Pode?

Por: Camila Arvoredo

Mulher peluda: primeira reação, nojo; segunda reação:
afinal, por que não pode? Fonte: Projeto sonho
Um dia conheci uma moça peluda. Bem, na realidade todas nós temos pêlos e por que não dizer que somos todas peludas? Acontece que aquela moça cultivava seus pêlos axilares sem nenhuma vergonha, o que imediatamente me chocou.
É interessante como os pêlos femininos chocam olhares. De fato, a imagem ideal da mulher atual é uma mulher glabra, ou seja, totalmente sem pêlos, e que mais parece uma criança por não ter nada, absolutamente nada! Entretanto, essa mulher não existe na realidade, pois todas as mulheres têm pêlos – algumas mais e outras menos.
Quando falamos de pêlos, logo nos lembramos de Frida Khalo, a grande artista plástica mexicana, que não tinha nenhuma vergonha de expor seu bigode e monocelha em seus auto-retratos e que até transformou seus pêlos em uma qualidade, uma característica única de sua pessoa.

Julia Roberts deixou os pêlos à mostra e foi duramente
criticada pela mídia. Fonte: Lulu on the sky
Muitas artistas da atualidade também deixam seus pêlos axilares - como Julia Roberts - e outras os mantiveram no passado, como Baby Consuelo. O que se vê, todavia, é que, apesar da insistência e protesto por parte destas e outras mulheres, vemos a reação de nojo, de choque, de horror, perante uma mulher peluda e, sem deixar barato, parte da reação vem das próprias mulheres. Mas por quê?
Imediatamente pensamos que pêlos são nojentos e que raspá-los ou tirá-los dá uma noção de limpeza, porém é interessante que nossa sociedade não costuma associar os pêlos masculinos com sujeira e numa praia ou até em um país mais quente é normal ver axilas masculinas repletas de vastos fios. No caso das mulheres, tudo muda. As mulheres não podem mostrar seus pêlos naturais e quando vemos essa grande desigualdade de crítica entre os sexos, só podemos pensar em construção cultural e em parte, tentativa de controle do corpo feminino.

No caso dos homens, a exposição dos pêlos
não é um problema, assim como não mostrá-los
não o é. Fonte: Clube Cético
Claro que os homens raspam a barba e alguns até devem aparar ou tirar pêlos do nariz, orelhas, peito etc, porém ainda sim, um homem de barba não choca tanto como uma mulher de perna peluda ou braço farto e um homem monocelho não choca tanto quanto uma mulher monocelha. Mas você poderia dizer que não é normal uma mulher de bigode, mas até aí se fizermos uma pesquisa em um buscador, logo perceberemos as milhões de mulheres com buço farto em busca de uma boa depilação, o que só nos leva a crer que existem sim muitas mulheres de bigode por aí.
Nem sempre foi assim! Antigamente, as mulheres não precisavam raspar tudo, até porque as partes com pêlos não podiam ficar à mostra. Hoje, chegamos a um extremo tão devastador que mulheres até ficam doentes e se arriscam a pegar doenças incuráveis para se livrar dos fios.
Aliás, o Brasil é um exemplo extremo. Aqui existe a famosa depilação brasileira. Para quem não sabe esta é aquele tipo de depilação “tira tudo mesmo” e se você acha normal, saiba que isso é apenas cultura do Brasil. Será o calor? Acho que não! Se fosse assim, na África, Ásia e até Oceania se faria o mesmo. Isto é imposição cultural e em um país com o maior índice de cirurgias plásticas estéticas e cesárias com fins estéticos, percebemos como a pressão cultural pelo culto ao corpo, principalmente em relação às mulheres, é forte em nosso país.

Sabe-se atualmente que a depilação pode trazer sérios riscos à saúde feminina e masculina. Segundo Boroughs (2012) a principal queixa feminina relativa à depilação são as injúrias causadas por ela. Muitas mulheres apresentam frequentemente infecções decorrentes de pêlos encravados, principalmente na região da virilha e algumas podem até desenvolver quadros tão complicados que levam ao uso contínuo de antibióticos ou cirurgia. Outro problema são as manchas que podem aparecer após depilação com cera quente, caso se exponha ao Sol. Por fim, pode ocorrer queimadura por atrito, quando depilações são realizadas no mesmo local, uma seguida da outra.
O espartilho foi moda por muito tempo e seu uso chegava a tal
ponto, que mulheres precisavam usá-los para sutentar a
coluna. Tudo em nome da estética da época.
Fonte: Soturna Gótica
Como causa de tantos males, a depilação pode até ser comparada ao uso do espartilho ou sapatinho chinês, que deformava o corpo da mulher, em pró da estética, comumente manipulada pelo sexo masculino.
Não estou dizendo para as leitoras pararem de se depilar. Essa questão é muito íntima e vai de cada uma, porém o intuito aqui é mais fazer refletir sobre ações que muitas vezes realizamos automaticamente, sem que antes nos demos conta de como aquilo faz mal para o nosso organismo.
Gostaria de viver em um mundo em que não me chocasse com os belos pêlos axilares de mulheres livres. Em que as pessoas não me julgassem pelos pêlos de minha perna ou pelo bigode de minha amiga. Gostaria que mulheres de bigode e monocelha não fossem chamadas de mulher macho e que os filmes não fizessem piada das mulheres que preferiram deixar crescer sua vasta coleção pubiana.

Quer se chocar ainda mais com o tema polêmico?
Não me lembro o livro, mas um dos personagens de Milan Kundera começa a retirar a roupa de sua amante quando percebe que ela se depilara completamente. O homem, na hora, pára tudo e pergunta por que ela fizera isso. Ela lhe diz que fez para agradá-lo, no qual ele responde: eu me sinto atraído por mulheres e mulheres possuem pêlos; aqueles que preferem as ninfetas sem pêlos são apenas os homens que ainda somente têm a maturidade para amarem crianças e desconhecem os desafios de uma mulher adulta.
Não vou generalizar a afirmação de um dos meus autores preferidos e não acho que seja o caso de todos os homens, mas reflitam: afinal, por que mulher peluda não pode?

Frida Khalo não só não tinha vergonha de seus
pêlos como o utilizava como assinatura de sua
aparência. Fonte: Poesias fulanas de tal
Podemos tirar uma lição de toda esta história: mulheres e homens se depilam por imposição cultural e, principalmente no caso das mulheres, a imposição é de tal maneira ditatorial que mulheres peludas são tachadas de mulher macho, masculinizadas, feiosas, bigodudas e uma série de adjetivos maldosos.
Frida Khalo era uma mulher fascinante e ao mesmo tempo, cultivava seu belo bigode; fico então imaginando um dia em que todas as mulheres serão apreciadas pela sua beleza natural ou porque têm belos bigodes ou porque não os têm, da mesma maneira que pode acontecer atualmente para todos os homens, que possuem barbas bem nutridas ou não e sem que para isso sejam tachados ou por tê-las ou por não tê-las.

Para saber mais sobre libertação dos pêlos femininos, existe um movimento inglês conhecido como “Hairy Awary”, que tenta mostrar e incentivar mulheres do mundo todo a manterem seus pêlos, caso desejem, e lutarem pelo fim do preconceito e comentários que frequentemente aparecem.


Gostou desta postagem? Ajude a divulgar o blog e seja um seguidor!

Em breve sessão "História ao contrário".

Post A Comment
  • Blogger Comment using Blogger
  • Facebook Comment using Facebook
  • Disqus Comment using Disqus

13 comentários :


[REFLEXÕES][grids]