[ECOTUTORIAIS][bleft]

A incrível arte de como tingir roupas com restos de legumes


A indústria têxtil apresenta uma série de problemas. Primeiramente, a grande maioria das empresas de moda de departamento estão geralmente envolvidas com trabalho escravo ou sob condições insalúbres, principalmente aquelas que importam seus produtos da Ásia. No Brasil temos o emprego de mão de obra barata, sem direitos trabalhistas ou o emprego de imigrantes bolivianos, principalmente, que são massivamente explorados.
Além de tudo isto, existe ainda o problema dos corantes que tingem as roupas. Você sabia, por exemplo, que grande parte dos corantes são derivados do petróleo, levando a uma série de problemas ambientais? Além disso, há ainda o problema do uso de substâncias tóxicas para o meio-ambiente e para o ser humano, como o formaldeído, que é comprovadamente cancerígeno.
Para resolver este problema, há a possibilidade de comsunir menos roupas, reutilizando e remendando o que é velho. Também é possível comprar em brechós, costurar suas próprias roupas ou procurar tecidos orgânicos (mas que são muito caros ainda, infelizmente). Porém, ainda assim existirá o problema dos corantes e, prara tal, existe uma solução bastante engennhosa e criativa, que é o uso de restos de legumes para a confecção de tintas.

Restos de legumes são úteis

Fonte

Por mais que se tente reutilizar cascas ou fazer receitas com restos, como no caso da casca de banana, muitos restos de legumes acabam indo para o lixo. Entretanto, este é um rico material que pode ser reutilizado para a produção de tintas de tecido, as quais são ecológicas e saudáveis.
Usar plantas para tingir roupas não é evidentemente novidade! Uma das mais famosas é a garança (Rubia tinctorum), que tinge o tecido de algodão de vermelho.
Porém, a novidade não é exatamente o fato de poder tingir com plantas, mas de poder tingir com o que se há de mais acessível na cozinha: nossos próprios alimentos! E o mais interessante de tudo isto é que nem precisamos desperdiçar alimentos para tingir, já que o tingimento se dá com seus restos, como sementes, cascas e outras partes não comestíveis. Não tem como ser mais ecológico do que isto!

Procedimento básico para tingir roupas com tinturas naturais

Fonte

Antes de escolher a cor, é preciso saber sobre o procedimento básico. Primeiramente, você vai precisar pesar o tecido para saber a quantidade de restos a ser utilizado. Para 1 quilo de roupa, por exemplo, use em média 200 gramas de restos de legumes de sua preferência. Não esqueça que quanto mais você colocar, mais forte ficará e que, como é um procedimento caseiro e nem tudo é controlado, a cor final também será uma surpresa, podendo gerar um tom mais forte ou menos forte. Além disso, você vai precisar de uma panela bem grande, onde você possa “cozinhar” a roupa. Essas parecidas com aquelas da cozinha da merenda são muito boas para esta tarefa. Por fim, você precisará de uma cozinha limpa, de um fogão para “cozinhar a roupa”, água potável para ferver, uma colher grande para mexer, um coador e um fixador.
O fixador ajuda a fixar a cor na roupa. Geralmente, usa-se o alúmen de potássio (pedra ume moída), que se vende em qualquer farmácia. Se você morar em um local bem inacessível, você pdoe usar sal grosso como fixador, mas não funciona tão bem. Lembrando que, por se tratar de um corante natural, a tinta vai desbotar naturalmente com o tempo, o que só aumenta a nossa oportunidade de tingir novamente com uma cor diferente. Para 1 quilo de roupa, você deve adicionar sempre 1 colher de sopa de fixador.
Por fim, este procedimento funciona melhor em tecidos naturais, como algodão, jeans e linho.

Tingir de azul com repolho roxo


Sabe aquela parte do repolho roxo que é muito fibrosa para comer, como a base e as folhas mais exteriores? Estas partes podem ser usadas para produzir um corante azul, que colore suas roupas de uma maneira espetacular. Para fazer, siga o seguinte procedimento:
Antes de tudo: molhe a roupa e retire o excesso de água.
1 – Preencha a panela com uma quantidade razoável de água (a quantidade vai depender do tamanho da roupa). A água deve conseguir cobrir todo o tecido.
2 – Adicione a quantidade necessária de restos de repolho na água e ferva até que a água fique bem colorida.
3 – Desligue o fogo. Retire as folhas de repolho com o coador.
4 – Adicione o fixador na água e mexa bem, até dissolver tudo.
5 – coloque o tecido na solução e ferva por mais 20 minutos, mexendo sempre, para que o corante pegue em todas as partes homogeneamente
6 – Desligue, espere esfriar, retire o tecido da panela. Retire o excesso de água, torcendo a roupa. Estenda no varal à sombra.

Tingir de magenta com beterraba


Realize o mesmo procedimento com o repolho roxo. Aqui, você pode utilizar as cascas da beterraba ou beterrabas velhas.

Tingir de laranja amarronzado com casca de cebola


O procedimento é sempre o mesmo, o que muda é o tipo de resto de legumes a ser usado.

Tingir de rosa com caroço de abacate

Fonte

Existem tantas funções para o caroço de abacate! Veja mais aqui “”. Além destas, você também pode ralar o caroço e realizar o mesmo procedimento de tingimento acima com o caroço. O tom é um rosa claro e muito bonito.

Tingir de laranja com casca de abacate


Mais uma solução para as cascas de abacate, que vão comumente para o lixo! Use as cascas sozinhas e picadas. Você pode congelar várias delas e usar de uma só vez, para obter um lindo tom laranja.

Tingir de amarelo com açafrão


Quem já usou açafrão sabe que ele tinge tudo, até os dedos. Use restos de casca de açafrão para obter um amarelo forte.

Tingir de marrom com restos de chá preto


Este não é legumes, mas uma ótima ideia de reutilização para os saquinhos de chá preto, verde ou mate é tingir tecidos de marrom.

Tingir de índigo com feijão preto


Aqueles feijões pretos que estão machucados podem ter uma ótima serventia no tingimento de tecidos. Basta acumulá-los, fervê-los e tingi-los.

Para quem tem amoreira


Quem tem amoreira ou mora perto de uma, sabe que sempre sobram várias amoras caídas no chão que ninguém quer comer. Estas amoras podem ser usadas para produzir um lindo tom de vinho. O procedimento é o mesmo do repolho roxo.

Laboratório de tingimento


Além destas dicas, você pode também ir experimentando. Criando e investigando com novas plantas. O que será que acontece com o uso de casca de beringela? E aquele capim que cresce aos montes perto de casa, que cor daria? Enfim, a ideia é ir experimentando e aumentando a nossa auto-suficiência do sistema. Além disso, diminuímos nosso contato com produtos tóxicos e derivados do petróleo.

Observação: desconsidere o uso de lã e tecidos de origem animal, já que eles trazem muito sofrimento. Aquela velha imagem da ovelhinha com calor, pedindo para ser tosada é puro marketing. As ovelhas são duramente maltratadas, exploradas e mortas, quando não servem mais. O mesmo se dá para outros animais. Não compactue com esta violência. Torne-se vegan!


Paz!


Autora: Camila Gomes Victorino


 Pensando ao contrário




Post A Comment
  • Blogger Comment using Blogger
  • Facebook Comment using Facebook
  • Disqus Comment using Disqus

21 comentários :

  1. Adorei, vou praticar e compartilhar. Mto obrigada.

    ResponderExcluir
  2. Que legal, vou tentar fazer. E para tingir de verde, é possível?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Catalina! Sim, é possível tingir de verde, mas eu não sei a planta. Já vi meninas tingindo com algumas plantas que não existem no Brasil, então não faz sentido indicar. Eu recomendaria testar com plantas bem verdes e adicionar suco de limão. O limão vai evitar que o suco oxide, ficando marrom. Mas, eu não sei se vai dar certo. Vá testanto, pois sei que é possível. Paz!

      Excluir
    2. Utilizando erva mate é possível conseguir verde

      Excluir
  3. Para obter o verde, pode usar a alfafa e também a erva-mate, que fica mais próximo do marrom, dependendo da concentração.

    ResponderExcluir
  4. Maravilha!!!!Vou experimentar. Obrigada!

    ResponderExcluir
  5. Olá, como eu poderia tingir de branco e preto?

    ResponderExcluir
  6. Bem, o Branco é ausência de cor! Para descolorir um tecido colorido nos métodos industrializados, somente usando descolorante. Já o preto esse será sempre a concentração de alguma cor como o azul ou o marrom. Talvez dê certo um tingimento subsequente dos dois, de qualquer forma terá que testar...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pesquisando sobre a cultura indígena descobri que as sementes de Jenipapo ainda verdes dão um preto azulado. Testa esse, talvez dê certo.

      Excluir
  7. Dá para usar esses métodos com algodão alvejado, tipo sacaria?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Milena! Na realidade, não sei dizer, você teria que testar. Paz!

      Excluir
  8. Amei as dicas. Parabéns pela iniciativa.

    ResponderExcluir
  9. Obrigada pelas DICAS...estou iniciando...

    ResponderExcluir
  10. Adorei as dicas! Sabe me dizer se o processo funciona na lã sintética também? Obrigada!

    ResponderExcluir
  11. Muito legal essa matéria e podermos ter a opção de um método não prejudicial a mãe Terra. A água onde se adiciona o fixador é outra agua ou a mesma agua em que se ferveu o tecido com legumes?
    Obrigada. Andréia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Você deve colocar o fixador junto com a água dos legumes. Paz!

      Excluir
  12. Obrigada pelas dicas...sou iniciante, daí o não me pronunciar sobre resultados..mas, vou experimentar.

    ResponderExcluir
  13. Adorei, estou em meio a algumas experiências neste sentido.
    Paz e luz _/\_

    ResponderExcluir

Ajude a Enriquecer o nosso Blog, Contribuindo com sua Opinião!


[REFLEXÕES][grids]