[ECOTUTORIAIS][bleft]

As Incríveis Guerreiras de Buda – Pelo Fim da Exploração Animal

Por: Camila Gomes Victorino

"Um homem só é nobre quando consegue sentir piedade por todas as criaturas". - Buda
O budismo prega o fim de práticas violentas não só contra humanos, mas também contra qualquer criatura e é por isso que muitas monjas e monges, assim como devotos da meditação zen budista ou praticantes são vegetarianos. Atualmente, aliás, o veganismo está se tornando até mais comum do que o vegetarianismo, já que o leite, ovos e me carrega uma violência absurda contra os animais.

As monjas saem uma vez por ano do mosteiro para ensinar as palavras de Buda aos devotos e libertar os animais cativos. Fonte: ChinasMack

De fato, isso não é novidade, porém para além da dieta há também os casos em que praticantes do budismo se comprometem a acabar com a exploração animal, atuando em outras esferas e é até uma surpresa que este tipo de ativismo seja praticado por monjas.
Na realidade, a vida de um monge não parece ser nada fácil pois no que vemos pelos filmes asiáticos, eles estão sempre a comer pouco, meditar muito durante todo o dia e pedir esmolas porém no caso das monjas pertencentes ao templo Daoyuan, na cidade de Haicheng Liaoning, isso se torna até algo fácil, já que o templo é fechado para visitas e as monjas não podem nem pedir dinheiro e nem o templo aceitar doações. Além disso, as monjas praticantes do zen budismo comem apenas uma vez ao dia e dormem 4 horas. Sacrifício inútil? Pode parecer, mas esta vida austera prepara o corpo e a mente das monjas seguir os passos da não-violência e para uma peregrinação de duas semanas que acontece todo ano. Missão desta peregrinação: ensinar pelo exemplo sobre a não-violência e libertar animais da exploração.
No caminho, as monjas recolhem os animais atropelados para enterrá-los e rezar pelo fim de seu ressentimento. Fonte: ChinasMack

De fato, as monjas carregam seus sacos de dormir nas costas e quando encontram animais atropelados não só os enterram, como rezam por suas almas. Mais adiante, elas vão às cidades e aguardam seus devotos, que trazem animais salvos de serem assassinados em matadouros para que as monjas libertem suas almas.
Esta é uma interessante história entre a relação do budismo com a não-violência e como a pratica desta doutrina perpassa certamente o fim da violência contra os animais.
Atualmente muitas pessoas se dizem amantes da paz, ativistas pacifistas, adeptos da não-violência, mas eles mesmos não conseguem perceber que no seu dia a dia e a cada refeição cometem um ato de extrema covardia e brutalidade contra seres que têm os mesmos direitos a vida que nós tanto queremos ter.
Chegando a cidade, as monjas pedem pela libertação dos animais e recebem animais salvos de abatedouros. Fonte: ChinasMack

Assim, se hoje as religiões e as ideologias do mundo todo estão encobertas por atos contraditórios e mais palavras do que ações, o dia a dia das monjas de Daoyuan nos mostram que ainda existe a possibilidade de pessoas que não só decidem mudar suas idéias sobre como funciona o mundo, mas decidem também praticar suas idéias através de suas ações e tornar o mundo melhor não só para humanos mas para todas as criaturas.

Ajude os animais, ajude o planeta e ajude a si mesmx. Torne-se veganx!

Paz!




 Pensando ao contrário

Post A Comment
  • Blogger Comment using Blogger
  • Facebook Comment using Facebook
  • Disqus Comment using Disqus

Nenhum comentário :

Ajude a Enriquecer o nosso Blog, Contribuindo com sua Opinião!


[REFLEXÕES][grids]