[ECOTUTORIAIS][bleft]

Quando Se Alimentar De Luz É Possível



Viver de luz: uma possibilidade que inquieta crentes e materialistas.
Fonte: Indulgy
Prahkad Jani, de 85 anos, afirma não se alimentar, nem beber desde os sete anos de idade. Giri Bala, a ioguine indiana, também afirmava não ter se alimentado e hidratado por mais de 60 anos. É intrigante o fato de que se alimentar de luz do sol seja possível e para tal, foram realizados experimentos que tentaram comprovar a veracidade dos santos indianos que afirmam viver de luz.
Um estudo realizado em 2010 pelo pesquisador/neurologista Sudhir Shah e sua equipe de 35 pesquisadores do Defence Institute of Physiology and Allied Sciences (DPAS) seguiram o iogue Prahkad Jani por quinze dias, o qual permaneceu no hospital sem a possibilidade de comer, beber e ir ao banheiro. 

Prahkad Jani em sua estada no hospital. Fonte: Hangthebankers
O grupo equipou o local com câmeras e janela espelhada e somente permitiu a saída do místico para o jardim do hospital sob supervisão, onde tomava sol. Foram realizados testes sanguíneos e ultrassons para saber o estado de seus órgãos durante este período. Até agora, os resultados foram mantidos em confidencialidade e não foram publicados, mas Shah afirmou para a imprensa que Jani não só conseguiu manter-se saudável por duas semanas, como não apresentou nenhuma lesão nos órgãos, nem modificações nos testes sanguíneos e nem necessidade de ir ao banheiro.

Ioguine Giri Bala ao lado do mestre Paramahansa Iogananda.
Fonte: Vivendo da luz
Apesar destes dados serem interessantes, a comunidade científica não se convenceu e acusou os membros da equipe indiana de fraude. Até agora nenhum dado foi publicado e a equipe tem negado o acesso a cientistas independentes. Eu acredito que neste caso há sempre a possibilidade de ser fraude, afinal é estranho eles não darem acesso a equipes independentes, entretanto, existe a possibilidade de Prahkad estar dizendo a verdade e as informações serem mantidas em segredo por medo de roubo de dados. O que é mais interessante é que cientistas de Harvard nem mesmo consideraram a possibilidade do milagre, alegando farsa e manipulação de dados, por ser impossível para um ser humano viver quinze dias sem água e não padecer, segundo eles.
Fica a dúvida sobre os limites da impossibilidade e sobre a saúde de nossa ciência atual, formada, em parte, por indivíduos que se baseiam mais em dogmas do que em experimentos. Existem muitos casos de contra-testes realizados por equipes que discordaram de um determinado resultado, mas pelo menos houve contra-testes. Não vou dizer que devamos acreditar de imediato no caso de Prahkad Jani, já que equipes independentes não analisaram os resultados, mas também não podemos nos fechar para a impossibilidade de se viver de luz apenas porque até então nos pareceu impossível se alimentar dela.

O cientista deve atentar para não substituir a figura de Deus por outra teoria
que se torne um dogma impossibilitado de questionamento. Fonte: Zelmar
O perigo é que este tipo de apego a um determinado paradigma leva muitas linhas de pesquisa a serem cortadas, negadas ou rechaçadas simplesmente porque vão além do que o materialismo (o principal dogma da ciência atual) se baseia. Depois disso, posso entender porque muitas pessoas deixam de lado a opinião da comunidade científica, quando esta se fecha tão ferozmente a concepções diferentes das materialistas atuais.
Sendo assim, muitas pessoas deixam para trás as provas científicas e resolvem testar nelas mesmas suas crenças de possíveis potencialidades do ser humano. Dúvidas como “o que somos nós” e “de onde viemos” continuam a fazer a cabeça de muitas pessoas, as quais não conseguem respondê-las pela ciência, a qual chegou a abandonar estas perguntas, deixadas para a metafísica filosófica.

A auto-experimentação tornou-se uma interessante saída
para descobrir respostas, cujas perguntas foram ignoradas
pela maioria da sociedade. Fonte: Curadaalma
Fazer meditação e tentar alcançar a iluminação; modificar estados de consciência através de práticas de ioga e realizar exercícios místicos para prevenir doenças são alguns dos auto-experimentos que muitas pessoas realizam para obter respostas. Não é possível publicar um artigo científico sobre como fulana se iluminou depois de dez anos de meditação corrente, mas eu imagino que quem testa isso não está exatamente interessado em provar para os outros seu ponto de vista. De fato, elas querem respostas para si mesmas e se estas respostas forem obtidas, é isso o que importa para elas.


É preciso manter a mente aberta, mas manter o bom senso. Fonte: Ikkei
Claro que existe um limite. Uma suíça apelidada de Anna Gut parou de comer ao assistir um documentário sobre alimentação prânica e morreu após duas semanas. Não sejamos tolos de considerar sair dos limites do bom senso por qualquer ideologia que seja. Aliás, segundo iogues e mestres iluminados, o poder de se alimentar de luz é dado após anos ou mesmo décadas de muito esforço espiritual, através de meditação e ioga, além de exercícios específicos que muitas vezes são ensinados apenas por uma ou um guru experimentado. Resumindo: parar de comer e ficar tomando sol, não mudará sua forma de se alimentar, se você não tem preparo espiritual suficiente!

Segundo o misticismo, é preciso preparo espiritual para viver de luz.
Fonte: Texarkana Gazette
O que penso é que devemos sempre manter a mente aberta para o novo, mas devemos saber também que há um limite para tudo com muito bom senso! Existem pessoas que simplesmente desistem de buscar respostas, enquanto que outras nunca param de se perguntar. Eu sou como uma das pessoas que nunca pararam de refletir e tentar encontrar respostas e o que faço é estudar bem sobre um assunto antes de começar a acreditar em qualquer coisa que dizem, afinal o mundo está cheio de charlatões, mas também é feito de mistérios que a ciência está longe de querer explicar. Assim, podemos ser materialistas, mas nunca apostar cem por cento nesta filosofia, sabendo que existe uma probabilidade de que estejamos enganados.

A vitamina D é obtida através de banhos de sol. Fonte:
Saúde Abril
De qualquer jeito, não deixe de tomar sol, sendo crente ou não. Podemos não ter clorofila ou sermos iogues milenares, mas é certo que a produção de vitamina D se dá pela exposição à luz do sol. De certa maneira, posso afirmar que nos alimentamos de sol, mas parcialmente. A vitamina D é super importante para o organismo e principalmente para o equilíbrio de minerais e saúde óssea. Tomar 15 minutos de banho de sol por dia já repõe a vitamina e apesar dela poder ser encontrada também nos alimentos, saiba que a forma produzida pelo sol é a mais importante para nós. Sendo assim, não acredite quando dizem que protetores solares são necessários em todo momento. Tomar banho de sol é saudável em determinadas horas do dia e usar protetor em excesso faz mal à saúde.
Depois de tanta informação vou tomar banho de sol e refletir sobre a possibilidade de se alimentar de prana. Quem sabe um dia! Será possível?


Paz!

Autora: Camila Arvoredo
Post A Comment
  • Blogger Comment using Blogger
  • Facebook Comment using Facebook
  • Disqus Comment using Disqus

6 comentários :

  1. Acho extremamente suspeito esse negócio de alimentação por luz.

    Pra começar, não é correto afirmar que os cientistas são uns cabeças duras materialistas e que, por isso, a alimentação por luz ainda não é aceita e difundida.

    Os cientistas são as pessoas mais cabeça-aberta que existem, afinal átomos, quantização de energia, dualidade onda-matéria, só pra citar alguns pouquíssimos exemplos, não fazem parte do senso comum. É necessário muita cabeça aberta para aceitar essas idéias.

    Mas se os cientistas aceitam situações nada usuais (em relação ao que vemos no dia a dia), por que eles não aceitam, dentre inúmeras coisas, a alimentação por luz?

    Resposta simples: falta de evidência. Os cientistas estão dispostos a aceitar QUALQUER coisa, tudo mesmo. Só pedem uma única coisa em troca: evidência! Sem evidência, nada feito. Além disso, situações fantásticas requerem provas extremamente robustas, e é exatamente aí que está o problema. A questão não é o "materialismo da ciência", mas sim a falta de evidência que comprove a afirmação que está sendo feita.

    Como já disse, afirmações fantásticas requerem provas robustas, e não é o que temos aqui. Afirmar que é possível uma alimentação por luz viola praticamente todos os conhecimentos de química, física e biologia que temos hoje, daí a necessidade de uma prova muito, muito boa, para que tal afirmação seja levada em consideração. Mas o que temos de evidência? Um indiano maluquete que diz conseguir. Temos a palavra de uma (ou até mesmo de algumas) que afirmam conseguir. Isso é muito pouco. Afirmações "eu vi, eu consigo... juro!" é MUITO POUCO. Pessoas jurando verem ou fazerem algo não é prova de nada.

    Aí, como vc mesmo afirma, os testes com esse cara são "secretos", "não foram divulgados", mas um sujeito disse que deu certo. Pô! Aí não dá, né? Isso não é evidência! Uma afirmação fantástica dessa e tudo o que tem como prova é um "eu fiz" e um "eu vi o cara fazendo, mas não mostro as provas". É realmente pedir demais que um cientista leve algo desse tipo em conta.

    O papel da ciência é saber separar a verdade da mentira. Um monte de gente afirma um monte de coisa. Imagine onde vamos parar se levarmos em consideração as afirmações de todo mundo!

    Regra nº 1 da ciência: "eu vi" ou "eu faço" não é evidência de nada. Se alguém quiser que algo seja levado em conta pelos cientistas, terá de apresentar evidências muito melhores do que "eu vi, juro!".

    Como bem disse o Dawkins, "se alguma afirmação fantástica e sem evidência for feita, devemos sempre considerar a hipótese menos absurda". Dessa forma, entre ser possível se alimentar de luz e essa história toda ser uma tremenda duma mentira, fico com a segunda possibilidade.

    Pra terminar, deixo um link do cientista de Grasse falando sobre ETs. Não é o tema desse debate, mas ele comenta porque "eu vi" não serve como evidência científica de nada, além de outras coisas interessantes. Começa aos 3 min, mas vale a pena ver tudo.

    http://www.youtube.com/watch?v=u6UEgGhn6HQ

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Eliane! O problema da ciência não é em si o método, que como você disse, e tem toda razão, necessita de evidências e, algumas delas, extremamente robustas. O texto em nenhum momento afirmou que este é o problema, mas sim o fato de que o método não é empregado, mesmo antes de se analisar as evidências (tlz nem tão robustas, pelos olhos de um ocidental devidamente treinado por décadas no paradigma materialista - isso é um tema para debate: o que é evidência robusta?). A questão que se coloca é: por que determinados relatos não são investigados ou afirmados de imediato como fraude sem que ao menos se tenha investido o suficiente para analisar as evidências? No caso do texto, com certeza é muito estranho a equipe não ter publicado nada e pode ser fraude sim, mas um cientista dizer que é impossível porque ATÉ agora nada provou o contrário é estranho vindo de um cientista que nunca deveria fechar sua mente para o impossível. Fechar a mente assim é que é perigoso, pois faz com que o conhecimento não avance. Aliás, eu imagino que você concorde que ainda não sabemos tudo sobre o mundo e assim, pois bem: qualquer pessoa poderia dizer que é impossível, mas não uma pessoa que deve, por profissão, ter a mente aberta. De qualquer jeito, esta é só uma parte do texto. O que eu considero mais importante é sempre tentar buscar respostas em todos os lugares e, inclusive em si mesmo. O texto começa falando de ciência, mas chega na questão da busca pelo auto-conhecimento. A ciência, neste caso, não respondendo todas as nossas dúvidas, deixa algumas questões existenciais não respondidas, por não ser o foco científico, aliás as questões metafísicas. Neste ponto é que eu falo da auto-experimentação através de práticas meditativas. Esta experiência é para cada um e não tem a missão de provar para a sociedade determinado tema, como por exemplo a existência de Deus. Acho que esta é a mensagem do texto. Modificando o ditado: Dá à ciência o que é da ciência. Assim, a ciência tem um limite. Para o resto, cada um por si com alguma coisa em comum. No fundo fica a questão: não existirá uma veneração exagerada pela ciência, fazendo com que as pessoas busquem respostas para dúvidas que nem mesmo são o foco cientifico, como a metafísica?
      Este debate sobre ciência é muito legal! Se topar, vamos além! Abs,

      Excluir
    2. Acredito que devemos cuidar para n entrar em falácias. Nada pode ser considerado impossível porque não foi provado. A ciência não deve ser dogmática não pode possuir limitações. Deve investigar tudo pois não conhecemos praticamente nada do que tem para se conhecer. Existe a possibilidade de que tudo que conhecemos da ciência esteja errado, ou com algum problema de formulação. Outro problema em considerar a ciência como única forma de obter a verdade ou que tudo que funciona é verdade, é que as variáveis para qualquer experimento são infinitas e inconstantes, e realmente precisamos conhecer muito mais para chegarmos pertos da verdade e pode ser muito provavel que a verdade absoluta nem exista ou ainda que as verdades absolutas existem por um instante e depois mudem. Vai saber kkkk

      Excluir
  2. O Reino dos céus está dentro de nós. Aquele que consegue adentrar seu SER REAL vence todas as limitações e dualidades da mente.
    Este sim é o verdadeiro cientista.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estamos mesmo precisando pesquisar mais sobre nosso Real Ser! Gratidão pelo comentário! Paz!

      Excluir
  3. Li a matéria, achei interessante, li os comentários e também achei muito interessante. Quero expressar aqui a minha alegria em ver comentários úteis e positivos, no sentido de contestar e permitir ser contestado sem nenhum desrespeito. Geralmente leio os comentários por curiosidade e acabo me decepcionando, sentindo que perdi tempo e ainda levei algo negativo desnecessariamente. Que legal essa interação que rolou aqui rs :)

    ResponderExcluir

Ajude a Enriquecer o nosso Blog, Contribuindo com sua Opinião!


[REFLEXÕES][grids]